Os dados da IGEC referentes ao processo de avaliação externa das escolas desde 2011, que hoje são apresentados em Coimbra, num seminário dedicado ao tema, organizado pelo Conselho Nacional de Educação, mostram que é na prestação do serviço educativo que as escolas mais precisam de melhorar (46% das escolas já avaliadas), em aspetos como as práticas de ensino ou o acompanhamento e avaliação do ensino e aprendizagens.

No que diz respeito aos resultados, com ênfase nos resultados académicos, os dados da IGEC indicam que esta é uma área de melhoria para 21% das escolas, abaixo das 33% que precisam de progredir no domínio da liderança e gestão.

Se analisados pela positiva, os resultados mostram que para 41% das escolas o seu ponto forte está na liderança e gestão, para 37% na prestação do serviço educativo e para 22% nos resultados.

Os dados relativos às classificações atribuídas pela avaliação externa da IGEC a 375 escolas avaliadas entre novembro de 2011 e maio de 2013 revelam que a classificação mais frequente nos três domínios a ser avaliados é a de ‘Bom’, dois níveis abaixo da classificação máxima de ‘Excelente’, que só foi atribuída a menos de 1% das escolas e exclusivamente no que diz respeito à liderança e gestão.

Nos questionários de satisfação que as escolas distribuem a pais, alunos professores e funcionários no âmbito da avaliação externa da IGEC, e que tiveram uma taxa de resposta de 78%, revelam que os alunos se declaram bem integrados, dizendo ter vários amigos na escola, e que conhecem as regras de comportamento e avaliação definidas.

Há um ponto de insatisfação comum aos alunos do 1.º ciclo até ao ensino secundário: em todos os níveis de ensino os alunos se queixam de não usarem computadores em sala de aula com maior frequência.

Entre os pais dos alunos, e também de forma transversal a todos os níveis de ensino, incluindo o pré-escolar, há uma tendência para declarar que os filhos estão bem integrados e acompanhados na escola, pela positiva, e para criticar a qualidade das instalações e da comida, pela negativa.

Os pais dos alunos mais velhos mostram ainda preocupação com a capacidade da escola resolver problemas de indisciplina. Professores e funcionários queixam-se também do comportamento dos alunos, mas declaram gostar de trabalhar na escola onde estão colocados.

A IGEC refere ainda que 105 escolas foram acompanhadas por equipas multidisciplinares da inspeção-geral desde 2013, ano em que as escolas com classificações mais baixas passaram a ter esse acompanhamento.

A avaliação externa das escolas decorre desde 2006 e dividiu-se em dois ciclos: de 2006 a 2011 e de 2011 a 2016.

Todas as escolas públicas têm que ser avaliadas pela IGEC dentro de cada ciclo de quatro anos.

Desde 2011 e até maio de 2015 a IGEC afirma que vão estar avaliadas 573 escolas públicas, de um total de 811 que compõem atualmente a rede de escolas públicas em Portugal continental, o que se traduz em 70,6% do universo da rede escolar.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Lifestyle diariamente no seu email.

Notificações

Os temas mais inspiradores e atuais estão nas notificações do SAPO Lifestyle.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.