Em declarações à agência Lusa, o presidente da Associação de Pais da Escola D. Pedro I, Carlos Gonçalves, contou que "em cima da mesa está a possibilidade de fechar a escola integralmente a partir de amanhã [quinta-feira]", uma hipótese que está dependente de "desenvolvimentos que venham a acontecer durante o dia de hoje".

"Precisamos de uma resposta clara e definitiva. Precisamos que o problema seja resolvido rapidamente", disse Carlos Gonçalves.

Em causa está a falta de funcionários que obrigou a direção da escola a anunciar que hoje esta fecha às 15:00, ou seja, cerca de três horas e meia mais cedo do que o habitual.

Numa comunicação distribuída na terça-feira pela direção e divulgada pelos diretores de turma lê-se que, "por falta de assistentes operacionais, é impossível manter em funcionamento alguns serviços da escola e a vigilância dos recreios, ficando em causa a segurança dos alunos".

Na sequência deste anúncio, o Ministério da Educação garantiu que "ainda esta semana" vai reunir-se com a direção daquela escola de Vila Nova de Gaia, no distrito do Porto.

Em resposta escrita enviada à Lusa na terça-feira, o gabinete do ministro Tiago Brandão Rodrigues disse que "os serviços do Ministério da Educação deram as respostas ajustadas às situações apresentadas pela direção da escola" e que, "além dos concursos de contratação de assistentes operacionais, com a consequente bolsa de substituição, o Ministério atribuiu um reforço de horas", razão pela qual a reunião servirá para "clarificar os procedimentos adotados".

Na terça-feira à noite, a Associação de Pais da D. Pedro I promoveu uma reunião "urgente", que contou com cerca de 120 encarregados de educação, tendo sido decidido promover esta manhã uma ação de sensibilização junto à escola e aguardar por respostas da tutela para decidir se o estabelecimento de ensino é fechado integralmente ou não na quinta-feira.

"Foi decidido promover uma ação informativa (…) sobre a decisão da escola ser encerrada (…) por falta objetiva de condições de segurança. Já depois da reunião recebemos mensagem do delegado regional da DGEstE [Direção-Geral dos Estabelecimentos Escolares], indicando que hoje, quarta-feira, estará na escola com o diretor, no sentido de encontrar soluções para manter a escola aberta até colocação de tarefeiras. Deste modo, fica condicionada aos desenvolvimentos decorrentes desta reunião a decisão de encerramento da escola", lê-se na informação que está a ser distribuída aos pais esta manhã à porta da D. Pedro I.

A Escola D. Pedro I acolhe cerca de 1.000 alunos do 5.º ao 9.º ano de escolaridade, localizando-se na freguesia de Canidelo.

Este equipamento escolar é sede do Agrupamento de Escolas com o mesmo nome que, no total, soma nove escolas.

"A decisão [de fechar a escola às 15:00] foi tomada pela direção e compreendemos. Atingiu-se um limite e, mais do que o transtorno que é causado aos pais, está em causa a segurança das crianças e a segurança é prioritária", disse à Lusa Carlos Gonçalves.

Já de acordo com o presidente da Federação das Associações de Pais do Concelho de Gaia (FEDAPAGAIA), José Cardoso, o número de "funcionários atribuído a esta escola é de 18, mas, em alguns dias estão 11 ao serviço e, em outros, 12, devido a baixas prolongadas".

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Lifestyle diariamente no seu email.

Notificações

Os temas mais inspiradores e atuais estão nas notificações do SAPO Lifestyle.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.