Segundo o Médico Dentista José Frias-Bulhosa, a grávida pode infetar o feto por meio de microrganismos provenientes de doenças infeciosas, como a cárie dentária e doenças periodontais. «A esmagadora maioria dos procedimentos clínicos não constitui por si só um risco acrescido para a mulher. O facto de poder ocorrer qualquer processo inflamatório durante o período da gravidez conferirá um risco muito maior para o feto e para a mãe», refere o especialista.

Quando efetuar os tratamentos

De acordo com a Ordem dos Médicos Dentistas, caso seja necessário efetuar tratamentos na gravidez, as consultas devem ser de curta duração e preferencialmente de manhã, sendo o segundo trimestre da gestação o período mais indicado.

Não se automedique

Em caso de dor, a grávida não deve automedicar-se, devendo primeiro consultar um Médico Dentista para solicitar a prescrição de medicação e efetuar os tratamentos dentários adequados para solucionar a dor, recomenda José Frias-Bulhosa.

Riscos da doença periodontal

Sobre os tratamentos de doença periodontal, o Médico Dentista avança: «Atualmente não deverá existir qualquer tipo de dúvida que, por exemplo, a doença periodontal – que afeta a gengiva e o osso de suporte do dente e que muitas vezes se caracteriza nos seus estádios iniciais por um simples sangramento ao escovar os dentes ou ao mastigar alimentos mais densos – poderá, com maior probabilidade, conduzir a partos prematuros e ao nascimento de crianças com baixo peso e com défice de desenvolvimento que se irão repercutir para toda a vida.»

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.