Nos últimos anos temos assistido a um aumento preocupante do número de crianças obesas. Como consequência disso, é cada vez mais comum encontrar nas crianças problemas de saúde que costumavam aparecer somente em adultos. Diabetes, tensão alta e colesterol elevado são exemplos destes problemas cada vez mais comuns em crianças como consequência da obesidade.

O tratamento da obesidade é difícil. Além disso, mesmo que se consiga tratar a obesidade, uma criança que já foi obesa terá sempre tendência a voltar a ser obesa durante a sua vida.

Parece claro que a prevenção é a melhor forma de enfrentar a obesidade infantil e as suas consequências.

Porque prevenir a obesidade desde a gravidez?

São vários os motivos que apontam para a importância da prevenção da obesidade infantil desde muito cedo.

Em primeiro lugar, o número de crianças com excesso de peso e obesidade aos 6 anos de idade já é bastante elevado.

Além disso, a prevenção da obesidade faz-se através de bons hábitos de alimentação, atividade física e sono e é nos primeiros 5 anos de vida que a criança forma grande parte dos seus hábitos e define as suas preferências.

Finalmente sabe-se hoje que durante a gravidez e os primeiros anos de vida alguns acontecimentos podem aumentar a tendência de uma criança vir a ter excesso de peso. Assim, numa altura em que todos nós estamos expostos à ameaça da obesidade, um crescimento saudável desde a gravidez é uma boa aposta para proteger as nossas crianças.

Como prevenir a obesidade desde a gravidez até aos 5 anos?

A melhor forma de prevenir a obesidade infantil é apostar no crescimento saudável da criança. Para isso, os pais e outros cuidadores de crianças pequeninas devem pôr em prática algumas medidas relacionadas com a gravidez, com a alimentação, com a atividade física e o sono, e com o papel que desempenham enquanto cuidadores.

Medidas relacionadas com a gravidez

- Engravidar com um peso saudável;

- Ter hábitos saudáveis de alimentação e atividade física durante a gravidez;

- Ter um ganho de peso adequado durante a gravidez;

- Não fumar durante a gravidez;

- Fazer os testes para detetar a diabetes gestacional e manter a diabetes controlada durante a gravidez.

Medidas relacionadas com a alimentação

- Alimentar o bebé apenas com o leite materno até aos 6 meses de vida;

- Iniciar a oferta de outros alimentos para além do leite de preferência aos 6 meses e nunca antes dos 4 meses de vida;

- Respeitar desde cedo os sinais de fome da criança, bem como os sinais de que está satisfeita;

- Incentivar o consumo de alimentos saudáveis, nomeadamente, frutas e vegetais, com especial atenção para a sopa;

- Estabelecer rotinas de refeições como, por exemplo, 3 refeições e 2 lanches;

- Cuidar para que as refeições sejam momentos agradáveis de convívio e aprendizagem, ou seja, sentados à mesa, de forma sossegada e sociável (regra dos 3S);

- Privilegiar as refeições em família. Sem televisão!;

- Oferecer quantidades de alimentos adequadas à idade da criança;

- Oferecer refeições equilibradas, incluindo os diversos grupos de alimentos;

- Evitar desde cedo o consumo de bebidas açucaradas, como refrigerantes, sumos e leites aromatizados. Guardá-los para os dias de festa;

- Incentivar o consumo de água;

- Evitar o consumo de doces, bolos, chocolates, fritos de pacote (snacks) e outros produtos alimentares ricos em açúcares e gordura e de baixo valor nutritivo. Guardá-los para dias de festa;

- Evitar formas de pressão para a criança “limpar o prato” ou para comer determinados alimentos saudáveis, como é comum acontecer com os vegetais;

- Evitar a proibição de determinados alimentos, principalmente em festas ou ocasiões onde outras pessoas estejam a consumi-los;

- Não utilizar alimentos para premiar ou confortar a criança.

Medidas relacionadas com a atividade física e o sono

- Incentivar que a criança brinque de forma ativa;

- Ter em casa e encontrar fora de casa espaços para a criança brincar de forma ativa;

- Evitar situações em que a criança tenha que ficar quieta por muito tempo. Por exemplo, sentada no carrinho de passeio ou na espreguiçadeira;

- Limitar o tempo que a criança passa a ver televisão ou a jogar videojogos. Até aos dois anos de idade este tipo de atividade é desaconselhado. A partir dos dois anos de idade recomenda-se que o tempo passado nestas atividades não ultrapasse uma hora por dia;

- Praticar alguma atividade física estruturada: natação, ginástica, dança, ballet, futebol, ou outra modalidade que desperte o interesse da criança;

- Assegurar que a criança dorme um número de horas de sono adequado à sua idade;

- Ter momentos agradáveis de atividade física em família.

Medidas relacionadas com os pais e outros cuidadores (amas ou outros em instituições como creches e jardins-de-infância)

- Servir como exemplo de bons hábitos de alimentação e atividade física e incentivar que outros membros da família ou instituição também o façam;

- Acompanhar o crescimento da criança e detetar sinais de alerta para o risco de obesidade e agir antes que a obesidade se instale;

- Aumentar os conhecimentos acerca da alimentação saudável.

Para mais informações consulte www.papabem.pt

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Lifestyle diariamente no seu email.

Notificações

Os temas mais inspiradores e atuais estão nas notificações do SAPO Lifestyle.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.