Após ter sido acusado de plagiar a música ‘Canção do Fim’, com a qual venceu a segunda semifinal do 'Festival da Canção' realizada este domingo, dia 25, Diogo Piçarra usou o Instagram para exclarecer a polémica.

“A ideia para a “Canção do Fim” surgiu em 2016, juntamente com muitas outras do meu mais recente disco ‘do=s’. Mantive-a guardada por achar algo especial, no entanto, a sua simplicidade e a sua progressão de acordes não é algo que não tenha sido inventado, tal como tudo na música”, começou por justificar o artista, que alegadamente terá copiado a música de um pastor da IURD – Igreja Universal do Reino de Deus.

“E é engraçado como a vida tem destas coisas, coincidência divina ou não, e perceber que a Internet é o verdadeiro juíz dos tempos modernos. Aclama mas também destrói.”, afirmou, referindo-se ao facto do rumores de plágio terem começado nas redes sociais.

Por fim, Diogo Piçarra revelou estar de consciência tranquila e surpreso com a semelhança entre as duas músicas: “A minha consciência está tranquila na medida em que eu próprio sou quem está mais surpreendido no meio disto tudo: nasci em 1990, não sou crente nem religioso, e agora descobrir que uma música evangélica de 1979 da Igreja Universal do Reino de Deus se assemelha a algo que tu criaste, é algo espantoso e no mínimo irónico. Desconhecia por completo o tema e continuarei a defender a minha música por acreditar que foi criada sem segundas intenções”, escreveu o artista, que terminou o seu texto agradecendo o apoio dos fãs.

Confira abaixo a publicação do cantor:

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.