Paulo Nuno Frazão, que perdeu a luta contra um cancro em dezembro do ano passado, permanece na memória da sua mulher, Marlene Barreto.

Para assinalar os quatro meses da partida do seu amor, esta quarta-feira, dia 27,a atriz deixou uma mensagem emotiva na página 'Até à Lua'.

Mariana Barreto confessa que a dor da perda continua muito presente no seu quotidiano, e que o dia 27 ficará marcado para sempre. "O dia 27 de qualquer mês será para sempre um dia difícil na minha vida. Há quatro meses atrás, num dia 27 disseste-me Adeus e desde aí a minha vida são fragmentos de momentos".

Leia na íntegra:

"'1,2,3 respira… chora mas respira fundo e continua a pensar nas coisas boas.' Tem sido este o exercício diário. Não sou fraca por te continuar a amar tanto, não sou desconcertante por te querer ‘vivo’ na minha mente, não sou dramática por sentir tanto a tua ausência. A força do que sinto faz com que te encontre todos os dias na minha rotina, que veja o teu rosto como se ele estivesse mesmo ali à minha frente que me ‘zangue’ contigo porque não me dizes nada… e assim resolveres aparecer nos meus sonhos e tranquilizares o meu coração.

Estou magoada, sensível, solitária …acho que vai demorar a passar, se é que vai passar algum dia. Perco a esperança. Se vai atenuar, porque é que este sentimento só tende a piorar?

Sinto-me diminuída, pobre e com um vazio enorme por preencher ou, então, com um lugar bem cheio de sentimento (ainda não percebi bem) e não sei o que fazer com ele. Talvez quisesse ser uma outra pessoa qualquer, quisesse estar num outro lugar, viver a vida de um outro alguém… talvez quisesse milhares de vidas e tenho de me contentar com a minha, que agora não te tem. Um paradoxo sentimental que me faz parecer mal agradecida com todas as coisas boas que vivemos juntos… que o Universo, não me entenda mal… mas há dias que é mesmo insuportável. Transformo-me numa criança birrenta que se recusa a aceitar. Que merda!

O dia 27 de qualquer mês será para sempre um dia difícil na minha vida. Há quatro meses atrás, num dia 27 disseste-me Adeus e desde aí a minha vida são fragmentos de momentos. E luto, todos os dias, para me recompor como quem luta para salvar a sua própria vida… porque sinto uma obrigação comigo mesma, com os meus sonhos, contigo e com o nosso amor.

Hoje dói-me o corpo, acordei tarde. Admito estar demasiadamente cansada. Não sei se porque estou numa cidade que não conheço e o tempo urge e há muito que fazer e deixar pronto ou se por simplesmente procurar formas cansativas de gastar energia e cair na cama podre para só acordar no dia seguinte... hoje é um dia triste, todos os dias 27's o são para mim desde que partiste. Pelo menos em dias como este gostaria de me sentir no direito de estar triste sem que ninguém me peça para não o ficar. Hoje é dia 27, o dia não está bonito.

...até à lua príncipe.

PS: Há lugares por onde eu passo, que a tua energia grita o meu nome. Vejo-te, vejo-nos juntos. Obrigada".

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.