Lyndsy Spence é a responsável por uma nova biografia sobre Maria Callas. Trata-se de uma obra repleta de polémicas revelações, que prometerem fazer correr muita tinta na imprensa.

Na obra são descritos pormenores chocantes sobre o casamento da famosa soprano grega com o milionário Aristotle Onassis.

Lyndsy Spence diz ter tido acesso a cartas escritas por Maria, guardadas num arquivo na Universidade de Stanford, nos Estados Unidos, e nunca antes divulgadas.

Através destes documentos e em diários guardados por amigos próximos da cantora, foi possível descobrir, segundo a autora, que Onassis "torturava" emocional e fisicamente Maria Callas.

A soprano era drogada com sedativo, nos quais se terá viciado, para depois ser vítima de abusos sexuais "de formas degradantes e que ela jamais permitiria se estivesse consciente". O conjunto de acontecimentos terá levado a artista a lidar com problemas mentais que pioraram o seu estado emocional.

O casamento, que se sabe agora foi marcado por uma enorme violência física e psicológica, durou nove anos. O magnata pediu o divórcio em 1968, para se casar com Jacqueline Bouvier Kennedy - viúva do presidente dos Estados Unidos John F. Keneddy.

Maria Callas, importa referir, morreu nove anos após o divórcio, em 1977. Tinha 53 anos e estava no seu apartamento em Paris quando no dia 16 de setembro sofreu um ataque cardíaco.

Leia Também: "Em televisão se falasses em meditação, reiki, diziam que eras bruxa"

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.