Jennifer Lawrence já fez saber que não irá deixar Harvey Weinstein usar o seu nome no âmbito da sua defesa contra os vários processos que tem em tribunal, derivados de acusações de assédio e abuso sexual.

Nos documentos de tribunal consultados pelo site E! News, esta quarta-feira, o produtor solicitou que o processo fosse arquivado. Para isso incluiu nomes como o de Gwyneth Paltrow, Meryl Streep e Jennifer Lawrence como possíveis exemplos de atrizes com quem trabalhou e não teve uma experiência negativa.

“O Harvey Weinstein e a sua empresa continuam a fazer aquilo que sempre fizeram, que é colocar as coisas fora do contexto e usá-las para seu próprio benefício”, afirmou a estrela de 27 anos num comunicado. “Isto é o que os predadores fazem e tem de parar”, alerta.

“Para que fique registado, enquanto eu não fui uma vítima do Harvey Weinstein, eu apoio as mulheres que sobreviveram aos seus terríveis abusos e aplaudo-as por recorrerem a todos os meios necessários para o trazer à justiça por ações criminais”, alerta, acrescentando ‘Time’s Up’, movimento criado para lutar contra o assédio das mulheres em contexto de trabalho.

Entretanto, o produtor emitiu um pedido de desculpas por envolver nomes específicos de artistas com quem trabalhou no processo judicial.

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.