Örs Siklósi, vocalista dos AWS, grupo que representou a Hungria no Festival Eurovisão da Canção de 2018, que decorreu em Lisboa, com a canção "Viszlát nyár", morreu na passada sexta-feira, aos 29 anos. O cantor tinha sido diagnosticado com leucemia em junho do ano passado, um segredo que nunca chegou a partilhar com os fãs, ainda que chegasse a ponderar fazê-lo em janeiro, mas o agravamento do estado de saúde já não lho permitiu. A morte inesperada do artista apanhou de surpresa os admiradores.

O que os cantores da Eurovisão andaram a fazer em Portugal
O que os cantores da Eurovisão andaram a fazer em Portugal
Ver artigo

"Ele tinha planeado lançar o seu primeiro disco a solo esta primavera e nós estávamos a preparar o quinto álbum dos AWS e estávamos a contar regressar à estrada este outono. Durante todo este período, a coragem e a dignidade dele foram exemplares. A sua criatividade, a profundidade que imprimia às letras que escrevia e a sua presença em palco vão ser recordadas com grande saudade. Além do vazio que deixa nas nossas vidas, deixa também uma lacuna na nossa cena musical por preencher. Foi uma pessoa inspiradora que nunca esqueceremos, uma pessoa com quem podíamos contar", elogiam os ex-colegas do malogrado artista.

Os restantes membros do grupo criaram, entretanto, no espaço cultural Akvárium Klub, em Budapeste, um espaço de homenagem para os fãs se despedirem até ao próximo fim de semana. "Não é um memorial organizado. É uma vela. Pedimos que tenham em conta os regulamentos epidemiológicos", apelaram. Em 2018, os AWS estiveram em Portugal por duas vezes. Foram a Óbidos em março para gravar o vídeo de apresentação e regressaram a Lisboa, em maio, para o certame. Ficaram em vigésimo-primeiro.

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.