A produtora do espetáculo musical "Carte postale du Portugal", protagonizado pela cantora Linda de Suza, pelo cantor Pedro Alves e pela jovem fadista Mara Pedro, atualmente em digressão em França, cancelou as datas das atuações que contavam com a participação da intérprete de "Uma moça chorava", alegando que a artista de 71 anos não estaria em condições de cantar e que estaria a ser forçada a fazê-lo pelo seu agente, Fabien Lecoeuvre.

Linda de Suza recorda passado difícil na Amadora antes de emigrar para França. "Fazíamos as nossas necessidades num balde"
Linda de Suza recorda passado difícil na Amadora antes de emigrar para França. "Fazíamos as nossas necessidades num balde"
Ver artigo

"Não se explora uma mulher 10 anos após a idade da reforma só porque ainda há algumas gotas de sumo de limão por espremer", justificou, nas redes sociais, Laure Rebois, mulher de Pedro Alves, a produtora do espetáculo e uma das dirigentes da Liloïse Productions, a empresa que comercializa "Carte postale du Portugal". "É tempo de proteger a Linda. Não é tempo de sermos desumanos e irresponsáveis e temos o apoio do filho dela, Jeannot [João Lança], apesar das suas divergências, que não nos dizem respeito. Tenho pena porque vejo a minha criação destruída e espezinhada", lamenta a produtora. "Tem havido problemas nos bastidores, ainda que não vos tenhamos falado deles", desabafa ainda, numa gravação em vídeo com quase nove minutos, Laure Rebois.

"Ela tem vontade de continuar mas a vontade não é tudo", afirma a produtora. "Estamos dispostos a perder centenas de milhares de euros", assume a mulher de Pedro Alves. Linda de Suza, apanhada de surpresa com a decisão, também recorreu às redes sociais para defender a honra do agente e para responder às "acusações injustas" que estão a ser feitas a Fabien Lecoeuvre, "o meu amigo e o meu agente", como o descreve. "Nunca fui forçada", garante.

"Sempre subi ao palco de livre vontade. Estou profundamente magoada com toda esta situação. Tinha muito prazer em reencontrar-vos em Le Havre no domingo, dia 16. Reencontrar-vos a vocês, o meu público que tanto adoro, a minha razão de viver há 42 anos. Não conheço as motivações exatas desta anulação repentina mas faço questão de garantir a todos os que me apreciam que estou muito bem, ao contrário do que alega esta produção amadora", critica.

Teolinda Joaquina de Sousa Lança, nascida em Beringel, no Alentejo, no dia 22 de fevereiro 1948, emigrou para França, onde trabalhou como camareira e como operária fabril, em 1969. Nos tempos livres, cantava e encantava. Na década de 1970, apresentou maquetes a várias editoras mas todas a recusaram, até que em 1978 assinou pela Carrere e gravou "Un portugais" e "Um português", que rapidamente se converteram num êxito em França e em Portugal.

Depois do fracasso da comédia musical "La valise en carton", em 1987, Linda de Suza entra numa espiral descendente que a afasta dos discos, dos palcos e da televisão, onde só regressa em dezembro de 2015. Em 2016, lançou um disco com os melhores êxitos, um livro e foi convidada para várias tournées com outros artistas que percorreram as principais cidades de França. Em setembro de 2019, anunciou a estreia do espetáculo "Carte postale du Portugal".

"Eu ainda estou totalmente capaz de cantar em palco e prová-lo-ei muito em breve", garante a cantora alentejana. "Não tolero que, por detrás de alegadas preocupações com a minha saúde, procurem responsabilizar-me pelo fracasso deste projeto que não teve o sucesso esperado, como atesta a venda de bilhetes nos concertos de Nancy, Lille, Dijon e Le Havre. Infelizmente, o público a aderir não foi o suficiente", afirma a intérprete que popularizou as malas de cartão.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Lifestyle diariamente no seu email.

Notificações

Os temas mais inspiradores e atuais estão nas notificações do SAPO Lifestyle.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.