O duque de Bragança, Duarte Pio, recordou a rainha Isabel II, que morreu hoje aos 96 anos, como uma pessoa que fazia "comentários muito irónicos", considerando que vai fazer "falta a toda a Europa".

Contactado pela Lusa, Duarte Pio referiu que a rainha do Reino Unido era "o modelo de como é que um chefe de Estado devia ser".

"Lembro-me de o Presidente Ramalho Eanes [ter dito] que o modelo dele era o de seguir os reis da Europa, porque achava que isso é que devia ser um chefe de Estado", acrescentou.

Na ótica do duque de Bragança, Isabel II "faz falta a toda a Europa".

Apesar de ser "mais íntimo" do príncipe Eduardo, filho da rainha, do príncipe Filipe, marido da rainha que morreu em abril de 2021, ou do atual rei, Carlos III, com quem esteve em "encontros de arquitetura e ecologia", o herdeiro da Casa de Bragança privou "várias vezes" com a rainha.

"Achei-a uma pessoa, em particular, divertida, tinha uns comentários muito irónicos, com muita graça, menos divertida do que o marido, o príncipe Filipe era mais divertido, às vezes até demais", sustentou.

Em todos os encontros que teve com a rainha, Duarte Pio ouviu sempre "os elogios" em relação à comunidade portuguesa a viver em Inglaterra e no Reino Unido e sobre o modo "como as elites intelectuais, culturais e científicas [portuguesas] se estabeleceram no reino".

A rainha Isabel II morreu hoje aos 96 anos no Castelo de Balmoral, na Escócia, foi anunciado através da rede social Twitter da família real.

"A rainha morreu pacificamente em Balmoral esta tarde. O Rei e a Rainha Consorte permanecerão em Balmoral esta noite e voltarão a Londres amanhã [sexta-feira]", acrescenta a mensagem.

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.