O ator francês Gérard Depardieu foi indiciado, a 16 de dezembro, de "violação" e "agressão sexual". Os crimes foram, alegadamente, cometidos no verão de 2018, sobre uma jovem atriz, e são contestados pelo próprio, avança hoje a Agência France Presse (AFP).

A nova fase do processo que envolve o ator de 72 anos foi relatada à AFP por fonte próxima do processo e entretanto confirmada por fonte judicial.

A queixa foi apresentada em agosto de 2018 por uma jovem atriz e bailarina, que acusava o ator de ter cometido abusos sexuais em duas ocasiões, em Paris, nos dias 07 e 13 de agosto daquele ano.

Em junho de 2019, o Ministério Público francês concluiu a investigação preliminar alegando que esta "não permitiu caracterizar os delitos denunciados em todos os seus elementos constitutivos", mas a vítima apresentou recurso e em outubro do ano passado foi decidida a reabertura do processo.

Em 2018, através do advogado, Gérard Depardieu negou "categoricamente qualquer agressão sexual e violação".

Hoje, contactado pela AFP, o advogado do ator lamentou que esta informação "se tenha tornado pública".

Gérard Depardieu, que ficou em liberdade sem controlo judiciário, "contesta totalmente os factos de que é acusado", reafirmou o seu advogado.

Leia Também: Acusado de abusos sexuais, ator Chris D'Elia admite ser viciado em sexo

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.