A polémica instalou-se quando há precisamente uma semana Kim Kardashian anunciou o seu novo projeto, uma marca que contempla uma linha de cintas modeladoras criadas pela própria.

A motivar o desagrado dos fãs esteve o facto de esta ter escolhido chamar Kimono ao projeto. Sendo a palavra usada para definir uma peça de roupa característica da cultura japonesa, foram muitos os que consideraram que a esposa de Kanye West estava a aproveitar-se e até a ofender a cultura do país.

Bombardeada com comentários negativos e já depois ter recebido uma 'carta aberta' do político japonês Daisaku Kadokawa, onde este lhe pedia para mudar o nome da marca, Kim resolveu tomar uma atitude, ceder ao pedido e pedir desculpa pelo sucedido.

"Ser empreendedora e ter negócios próprios tem sido um dos desafios mais compensadores com os quais fui abençoada", começou por escrever a socialite nas suas redes sociais, onde admite estar sempre pronta "a ouvir, a aprender e a crescer".

"Quando anunciei o nome da minha linha de shapewear [cintas modeladoras], fi-lo com as melhores intenções. As minhas marcas e produtos são feitos para ser inclusivos e depois de muita consideração, vou relançar a marca com um novo nome", anunciou, prometendo em breve revelar qual o nome que irá agora escolher para batizar este projeto especial.

Kim já tinha antes respondido à polémica explicando publicamente o que a levou a chamar Kimono à sua marca. Recorde as suas palavras.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Lifestyle diariamente no seu email.

Notificações

Os temas mais inspiradores e atuais estão nas notificações do SAPO Lifestyle.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.