Um estudo realizado pela Budget Rent a Car sobre a qualidade de vida aos fins de semana concluiu que os portugueses tiveram, em média, 6 fins de semana que consideraram ótimos nos últimos 12 meses – mais um do que no ano anterior. A média europeia é de 7 fins de semana.

Quanto aos efeitos, um fim de semana em grande parece continuar a ser maioritariamente benéfico, com 84% dos inquiridos a afirmar sentir-se mais amigável, ou mais agradável no local de trabalho. Existiu, no entanto, também uma ligeira subida no número de inquiridos que afirmou precisar de um dia para recuperar do fim de semana, 27% face a 16% em 2014, ou sentir-se exausto, com 22% de respostas afirmativas face a 15% no ano anterior.

O inquérito anual Budget pretende perceber se os portugueses estão a aproveitar ao máximo os seus fins de semana, e como os seus hábitos se relacionam com os dos restantes clientes europeus.

O Estudo Budget #GreatWeekend foi conduzido pela Opinium em julho de 2015 e inquiriu 7000 adultos de 7 países europeus (Reino Unido, Espanha, Portugal, Holanda, França, Itália e Alemanha) de modo a identificar os fatores que tornam um fim de semana comum num fim de semana em grande, e encorajar os seus clientes a terem um mais frequentemente. A pesquisa complementa as parcerias contínuas da Budget com um grupo de 28 Instagramers de vários países europeus, que oferecem inspiração para o que fazer e onde ir, de carro, durante o fim de semana.

Algumas conclusões do estudo incluem:

• Apenas 9% dos portugueses consideram não ter tido nenhum fim de semana em grande nos últimos 12 meses, face à média europeia de 12%. Em 2014, a percentagem nacional fora de 14%.

• A percentagem de portugueses que tiveram uma experiência nova no último fim de semana diminui 5% face a 2014, com apenas 8% dos inquiridos a responder afirmativamente.

• O orçamento disponível para o fim de semana está mais baixo: os portugueses estão dispostos a gastar apenas 160 euros, face aos 172 euros disponíveis em 2015. Portugal é o único dos países inquiridos a apresentar uma tendência de diminuição.

• Em sentido contrário, o tempo gasto a trabalhar durante o fim de semana aumentou: mais de metade dos portugueses (54%) fala ou discute sobre assuntos de trabalho no fim de semana, face aos 45% em 2014, e 35% verificaram e-mails de trabalho todos os fins de semana, face aos 33% no ano anterior.

Quanto custa um fim de semana em grande?

Em 2015, os portugueses estão dispostos a gastar cerca de 164 euros num fim de semana, face a 172 euros disponíveis em 2014. É o único país que apresenta uma tendência de decréscimo nesta matéria, com a França e Itália a aumentarem os seus valores exponencialmente e a ocuparem as posições de topo na lista dos mais gastadores.

O que torna um fim de semana em grande?

As pessoas e a quebra na rotina continuam a ser os grandes fatores de influência na transformação de um fim de semana comum num fim de semana em grande. Entre os inquiridos portugueses, visitar um lugar que sempre se tenha querido conhecer é a resposta mais comum, com 52%, seguida de perto pela passagem do fim de semana na companhia de familiares e amigos, com 47%. Visitar novos destinos surge em terceiro lugar, com 37% de menções.

Uma tendência semelhante à média europeia, com 43% de respostas afirmativas para a visita de lugares que sempre se tenham querido conhecer e para fins de semana na companhia de familiares e amigos, seguidos das viagens a novos destinos com 30% de respostas afirmativas.

O que impede mais fins de semana em grande?

A duração do fim de semana, na perceção dos portugueses está cada vez menor, assumindo uma hora média de início, em 2015, de 15 horas e 49 minutos de sexta-feira (face às 13 horas e 45 minutos, em 2014) e a terminarem algures perto das 18 horas e 48 minutos de domingo. Questões relacionadas com dinheiro e falta de tempo continuam a ser fatores impeditivos de mais fins de semana em grande, embora as questões económicas tenham sofrido uma diminuição no número de nomeações pelos inquiridos, face a 2014 (em 2014 foram nomeadas por 76% da amostra populacional, face a 74% em 2015).

O clima e meteorologia também fazem uma nova aparição com 12% dos portugueses a nomearem-nos como fatores impeditivos. Os portugueses são, ainda, aqueles que afirmam o valor mais alto de temperatura ideal, de todos os países inquiridos: 26º. A média europeia é de 24º.

“A essência do que torna um fim de semana num fim de semana em grande não se alterou, mas o público português parece continuar a não aproveitar ao máximo o seu tempo livre. Apesar do aumento do número médio de fins de semana em grande que experienciaram, face ao ano anterior, a perceção da duração do fim de semana e as pressões financeiras e profissionais continuam a ter um impacto muito elevado”, afirma Mark Servodidio, Managing Director, Europa, Avis Budget Group.

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.