Os laticínios são a categoria de alimentos cuja subida foi mais acentuada, em termos percentuais (26,30%). Entre leite, queijo, iogurtes e manteiga, os portugueses podem gastar, nesta semana, 14,50 euros, mais 3,02 euros do que gastariam pelo mesmo conjunto de produtos a 23 de fevereiro, antes do início da guerra, segundo dados Associação Defesa do Consumidor (DECO PROTESTE).

De acordo com a análise, a carne também está cada vez mais cara. Comprar um quilo de lombo de porco, de frango, de febras de porco, de costeletas do lombo de porco, de bifes de peru, de carne de novilho para cozer e de perna de peru custa esta semana 39,54 euros. Na véspera do início da guerra, a 23 de fevereiro, igual quantidade de carne custava 32,24 euros, ou seja, menos 7,30 euros.

Entre 23 de fevereiro de 2022 e 4 de janeiro de 2023, o preço dos congelados subiu 20,33%; o da mercearia subiu 19,47%; o do peixe aumentou 17,40%; e as frutas e legumes registaram um acréscimo de 16,74%.

"Entre 23 de fevereiro de 2022 e 4 de janeiro de 2023, o aumento foi de 35,78 euros (mais 19,48%), com um cabaz de bens alimentares essenciais a custar agora 219,40 euros", informa a DECO PROTESTE.

"A 23 de fevereiro do ano passado, o mesmo cabaz custava 183,63 euros", acrescenta a associação.

Quais os alimentos cujos preços mais aumentam?

Desde 23 de fevereiro, a DECO PROTESTE tem monitorizado todas as semanas os preços de um cabaz de 63 produtos alimentares essenciais. Os dez produtos que mais viram o seu preço aumentar entre 23 de fevereiro de 2022 e 4 de janeiro de 2023 foram:

  • o arroz carolino (mais 81%, ou seja, mais 92 cêntimos por quilo);
  • a alface frisada (mais 51%, ou seja, mais 1,04 euros por quilo);
  • a cenoura (mais 47%, ou seja, mais 36 cêntimos por quilo);
  • o açúcar branco (mais 47%, ou seja, mais 52 cêntimos por quilo);
  • a polpa de tomate (mais 43%, ou seja, mais 38 cêntimos por embalagem);
  • o leite meio-gordo (mais 42%, ou seja, mais 29 cêntimos por litro);
  • a bolacha maria (mais 38%, ou seja, mais 80 cêntimos por pack);
  • a couve-coração (mais 38%, ou seja, mais 40 cêntimos por quilo);
  • os douradinhos de peixe (mais 38%, ou seja, mais 1,80 euros por embalagem);
  • e o iogurte líquido (mais 37%, ou seja, mais 72 cêntimos por pack).

De acordo com as estimativas do Instituto Nacional de Estatística (INE), a taxa de inflação atingiu os 9,6% em dezembro de 2022, um abrandamento de 0,3 pontos percentuais face aos 9,9% de novembro.

Veja ainda: 10 situações em que ir supermercado pode colocar a saúde em risco

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.