Traçar um orçamento familiar todos os meses, seja através de um documento excel, aplicação móvel ou em papel, vai permitir-lhe saber exatamente onde está a gastar o seu dinheiro. Vai ser através deste método que vai conseguir chegar ao segredo que revela o estado das suas finanças, segredo esse a que chamamos taxa de esforço.

No fundo esta taxa trata-se da relação entre o rendimento mensal líquido de um agregado familiar e as suas despesas. Para conseguir chegar à sua taxa de esforço é importante ter em conta os gastos fixos - como por exemplo a prestação do crédito habitação, as faturas da água ou eletricidade -, mas também os seus gastos variáveis.

Ao olhar para ela irá perceber qual a parcela do seu rendimento que é destinado ao pagamento das prestações bancárias e qual a parcela que tem disponível para gastos com a alimentação, vestuário, transportes e educação, etc.

Como posso calcular a taxa de esforço?

A taxa de esforço é facilmente calculada através da seguinte fórmula:

[Total de Prestações Financeiras / Rendimento do Agregado Familiar] x 100 = total em percentagem

No entanto, e para facilitar esse cálculo, pode recorrer ao Simulador de Taxa de Esforço do Doutor Finanças. Basta preencher todos os campos disponíveis com o seu rendimento líquido mensal e as restantes despesas do mês com crédito habitação, crédito automóvel, crédito pessoal, dívida do cartão de crédito, outros créditos e total de encargos domésticos (como despesas com a casa, alimentação, deslocações, mensalidades de infantários ou escolas ou ginásios).

Como posso reduzir a taxa de esforço?

A taxa de esforço é um indicador utilizado pelas entidades às quais pede crédito para avaliarem o risco de lhe emprestarem dinheiro. Quanto maior for o seu valor, maior será o risco da instituição de crédito. No entanto, este também é um indicador da saúde da sua carteira. No caso de verificar uma taxa de esforço muto elevada deve tentar perceber em que gastos pode cortar, de maneira a poupar e reduzi-la.

Existem algumas soluções que podem ajudá-lo nesta redução. Comece por ajustar o seu orçamento familiar, separando as despesas essenciais das supérfluas. Definir o que não pode mesmo ser eliminado do orçamento familiar é fundamental para fazer este ajuste.

Outra opção que lhe permite reduzir a taxa de esforço é liquidar os créditos existentes com recurso às suas poupanças. Se, ao longo dos últimos anos, conseguiu juntar um bom montante, considere usar parte dele para amortizar algumas mensalidades ou até mesmo liquidar por completo o crédito.

A consolidação de créditos também é uma alternativa muito procurada pelas famílias portuguesas nos últimos anos para reduzir as suas prestações mensais em créditos. Isto porque esta opção consiste em juntar todos os créditos num só, com melhores condições e numa única prestação mais baixa. Com a consolidação, a poupança mensal pode chegar mesmo aos 60%.

Se tem um crédito habitação, avalie as suas condições atuais e pondere transferi-lo para outra entidade bancária que ofereça melhores condições para o seu caso. Esta transferência tem-se revelado uma solução eficaz para quem procura poupar muito dinheiro no final do contrato, podendo resultar numa poupança de milhares de euros.

Por último, e embora não elimine a necessidade de pagamento, a renegociação de créditos também é uma solução que permite aliviar o orçamento familiar numa determinada altura, dando espaço e tempo às famílias para reorganizar as suas contas. Para tal, fale com o seu banco e verifique as opções que este oferece.

Alertamos que, antes de fazer um investimento ou subscrever novas prestações, deve utilizar o Simulador de Taxa de Esforço como forma de saber qual o impacto real que essa prestação vai ter no seu orçamento mensal.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Lifestyle diariamente no seu email.

Notificações

Os temas mais inspiradores e atuais estão nas notificações do SAPO Lifestyle.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.