O que é a hiperplasia benigna da próstata?

A hiperplasia benigna da próstata (HBP) é uma doença que afeta os homens geralmente a partir dos 50 anos, chegando a afetar 70% dos homens com 70 anos de idade. Trata-se de um aumento do tamanho da próstata, um crescimento benigno e que não deve ser confundido com o cancro da próstata.

Como se manifesta?

A próstata está por baixo da bexiga, em torno de um canal que permite esvaziar a urina denominado de uretra. Desta forma, quando a próstata aumenta de tamanho, vai comprimir este canal situado debaixo da bexiga e dificultar a passagem da urina. Desta forma, os principais sintomas são de dificuldade em urinar. Estes sintomas são de dois tipos: irritativos e obstrutivos. Nos irritativos predominam as queixas associadas à reação da bexiga que não consegue esvaziar convenientemente e incluem urinar frequentemente, urgência em urinar e urinar muitas vezes de noite. Os sintomas obstrutivos devem-se à obstrução da passagem da urina pela uretra e incluem jato fraco, intermitência, ter de fazer força para urinar e sensação de que a bexiga não fica esvaziada após urinar. Estes sintomas não aparecem de um dia para o outro. Vão-se manifestando e acentuando ao longo do passar dos anos e podem ser vigiados periodicamente. Por vezes, podem surgir sintomas mais graves, embora menos frequentes, como sangue na urina, infeções urinárias de repetição, bloqueio urinário (retenção urinária aguda com necessidade de algaliação), litíase renal ou obstrução das vias urinárias ao nível dos rins. Nestes casos, deve ser procurado um tratamento urgentemente.

Qual a diferença para o cancro de próstata?

A grande diferença é que a HBP não é um tumor maligno como o cancro da próstata. A HBP é uma doença benigna, ou seja, não invade os órgãos à volta nem se dissemina para o corpo todo. Afeta apenas a próstata e não se espalha para outros órgãos. Geralmente pode haver alguma confusão pois ambas as doenças – a HBP e o cancro – afetam a próstata e podem levar a um aumento de um marcador no sangue denominado de PSA – prostate specific antigen. Além disso, os sintomas de ambas as doenças podem ser semelhantes, pelo que a procura de ajuda médica é fundamental para todos os homens a partir dos 50 anos de idade, para avaliar possíveis doenças de próstata.

Devo procurar urgentemente tratamento?

Nos casos de sintomas de alarme como o sangue na urina, bloqueio urinário ou infecções urinárias de repetição deve-se procurar ajuda médica especializada. Se as queixas urinárias estiverem progressivamente mais severas e a medicação já não for suficiente também deve ser procurada ajuda médica. Se o valor do PSA estiver muito elevado (acima de 4 ng/mL) também deve procurar assistência médica.

Com a pandemia devo adiar ajuda médica?

Não. Mesmo em tempo de pandemia, não se deve adiar a avaliação médica e deve-se manter as rotinas de saúde e realização de cirurgias quando indicado. Não deve descuidar-se da vigilância periódica, especialmente no caso dos homens acima dos 50 anos de idade, pois os problemas de próstata podem ser muito mais graves ou incomodar muito mais a qualidade de vida se não forem detetados e tratados a tempo de forma conveniente.

Como posso diagnosticar a HBP?

Através de uma consulta médica especializada e com base nos sintomas urinários, no valor do PSA, no toque rectal, em exames de imagem como a ecografia e a RM prostática e na fluxometria que mede a força do jato urinário é possível diagnosticar a maioria dos casos. Menos frequentemente poderão ser necessários mais exames como a cistoscopia para visualização da bexiga e uretra, biópsia prostática para exclusão de cancro ou estudos urodinâmicos para avaliação de problemas de mau funcionamento da bexiga.

Como posso tratar a HBP?

Até há uns anos atrás existiam apenas duas alternativas para o tratamento da HBP: a medicação e a cirurgia. Uma vez que a cirurgia convencional é invasiva e tem alguns efeitos adversos, criamos uma técnica inovadora minimamente invasiva de radiologia de intervenção para o tratamento da HBP. Trata-se da embolização prostática, que é um cateterismo à próstata e que vai bloquear a chegada de sangue à próstata, fazendo com que esta fique mais pequena e tratando, assim, as queixas urinárias associadas à HBP. É um tratamento intermédio entre a medicação e a cirurgia convencional. Mais invasivo que a medicação, menos do que a cirurgia e com resultados próximos ao da cirurgia convencional em termos de melhoria das queixas urinárias. Como se trata de um tratamento indolor, muito seguro e eficaz, sem as complicações da cirurgia, é muito atrativo para os homens com HBP e queixas urinárias.

Um artigo do médico Tiago Bilhim, radiologista de intervenção no Hospital CUF Tejo.

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.