Um dos mais frequentes é a diarreia que pode surgir durante o tratamento ou até 2 meses após o final do tratamento.

No ser humano normal, o intestino está colonizado por bactérias de diferentes espécies, que são benéficas e contribuem decisivamente para o equilíbrio biológico e para a saúde. Constituem a microbiota intestinal, antigamente chamada flora intestinal. Ao eliminarem as bactérias nocivas, os antibióticos atuam num largo espectro de bactérias, levando a alterações do equilíbrio da microbiota intestinal.

10 erros comuns na toma de antibióticos
10 erros comuns na toma de antibióticos
Ver artigo

Algumas bactérias intestinais menos favoráveis podem prevalecer e, como consequência, pode ocorrer diarreia associada à antibioterapia. Habitualmente, não há qualquer complicação. O risco depende de fatores como o antibiótico usado, a duração do tratamento, a microbiota de cada um e a suscetibilidade individual. Mesmo quando ocorre, na maioria dos doentes a diarreia não é grave e desaparece espontaneamente.

Ocasionalmente diarreias causadas por Clostridium difficile ou por Klebsiella oxytoca podem ser perigosas ou mesmo ameaçar a vida do doente.

Devemos evitar os tratamentos com antibióticos por causa deste risco? De todo não! Os antibióticos mudaram a história da medicina e da saúde humana. Apenas há 70 anos jovens e idosos morriam de doenças que hoje consideramos banais. Os antibióticos são indispensáveis para manter a qualidade da saúde moderna e evitar milhões de mortes precoces. Sendo assim, o que podemos fazer para reduzir o risco de ocorrência de diarreia associada aos antibióticos? Podemos tomar vários cuidados:

  1. O mais básico é manter uma microbiota diversificada e saudável. Este é um trabalho de toda a vida. Desde o início, com a amamentação materna, passando por uma dieta diversificada e rica em legumes e frutas. Fundamental.
  2. A toma de antibióticos, podendo ser indispensável, deve ser criteriosa. Não devem ser tomados sem indicação médica, mesmo que se tenha em casa comprimidos que sobraram de uma doença anterior semelhante. Salvo raríssimas exceções, não se deve tomar antibióticos como prevenção.
  3. Durante o tratamento pode ser útil tomar probióticos. Estes são microorganismos, bactérias ou fungos, que promovem a saúde interferindo na microbiota intestinal. Está provado que reduzem o risco de aparecimento da diarreia associada aos antibióticos. Contudo, nem todos os probióticos são adequados para todas as situações clínicas. Uma conversa com o médico assistente permite encontrar o probióticos adequado para si, para a sua doença e para o seu tratamento.

Os antibióticos são um património da humanidade. O seu uso indiscriminado contribui para desenvolver resistências bacterianas e por em causa a sua eficácia. Mas o uso pouco cuidado pode também levar a diarreias que podem ser graves. É fundamental usar os antibióticos de forma inteligente.

As explicações são do professor e médico gastrenterologista Jorge Fonseca.

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.