A dor nas costas é um dos problemas de saúde que mais leva as pessoas a procurarem ajuda médica ou a faltarem ao trabalho, sendo que a maioria experiência, pelo menos, um episódio deste tipo de dor ao longo da sua vida.

Desde os benefícios do exercício físico à segurança da cirurgia , a Campanha “Olhe pelas Suas Costas” revela-lhe 3 mitos e 3 verdades sobre as dores nas costas.

“A manutenção de um peso adequado e a prática regular de exercício físico, evitando o sedentarismo, são os mais importantes cuidados a ter para manter a saúde da coluna vertebral, minimizar as dores e evitar intervenções cirúrgicas. Por outro lado, é crucial procurar ajuda especializada quando surgem dúvidas ou dores persistente, evitando reger-se por mitos que muitas vezes são erradamente divulgados”, alerta Bruno Santiago, neurocirurgião e coordenador da campanha nacional “Olhe pelas Suas Costas”.

1. Dor na coluna é comum: VERDADE

Cerca de 80% da população terá pelo menos uma crise de dor nas costas ao longo da sua vida. Estes episódios são habitualmente benignos e resolvem-se espontaneamente, através de medicação ou de outros cuidados.

No entanto, se a dor for persistente ou afetar a perna ou o braço, é importante procurar o seu médico assistente, para uma diagnóstico e tratamento adequados.

A patologia da coluna vertebral é hoje a principal causa de anos vividos com incapacidade, em todo o Mundo.

2. Quanto mais repousar, melhor será o resultado: MITO

O repouso pode ser benéfico para as dores na coluna, mas deve ser limitado aos primeiros dias apenas. Demasiado tempo na cama pode inclusive atrasar a recuperação.

É recomendável repousar na cama apenas se a dor for muito intensa, na maioria dos casos será suficiente apenas reduzir a atividade e esforços.

3. Fazer pequenas pausas é crucial para a saúde das costas: VERDADE

Seja a trabalhar em pé ou sentado, fazer curtas pausas em atividades prolongadas é benéfico para a saúde das suas costas. Passar demasiado tempo sentado ou na mesma posição e o sedentarismo frequentemente contribuem para as dores.

Fazer pausas para andar um pouco ou fazer alongamentos é uma boa opção.

4. Pessoas com dores nas costas não devem fazer exercício físico: MITO

Muitas pessoas têm medo de realizar exercício físico quando têm dores nas costas. No entanto, o exercício físico regular, desde que seja iniciado de forma gradual e correta, ajuda a manter o corpo saudável e fortalece os músculos, reduzindo a dor e o desconforto.

Caminhar, andar de bicicleta, fazer alongamentos, natação e pilates são exemplos de exercícios benéficos para a saúde da sua coluna. Procure aconselhamento especializado junto dum fisioterapeuta, fisiologista do exercício ou personal trainer.

5. Fumar e o stresse são fatores de risco para as dores nas costas: VERDADE

A nicotina restringe o fluxo sanguíneo para os discos que amortecem as vértebras, acelerando o seu desgaste. Os fumadores apresentam também uma recuperação mais lenta após fraturas ósseas e cirurgias de fusão da coluna.

Já o stresse pode manifestar-se sob a forma de variados sinais e sintomas, impactando a saúde física e mental. No que diz respeito ao sistema músculo esquelético, podem surgir sintomas associados à tensão muscular crónica, uma vez que este é um fator de risco para o desenvolvimento de dores nas costas, nomeadamente ao nível da zona do pescoço e da região lombar da coluna.

6. Se for operado à coluna provavelmente necessitará de passar a utilizar uma cadeira de rodas: MITO

Nem sempre a dor na coluna é tratada com recurso à cirurgia. Esta está indicada apenas em alguns casos, mas quando é necessária, hoje em dia, já é possível realizá-la de forma pouco invasiva.

Mais do que nunca, a tecnologia tem ajudado a reduzir complicações, tornando a cirurgia da coluna vertebral extremamente segura. Muitas vezes, o doente recebe alta nas primeiras 24h.

O risco de complicações graves após uma cirurgia à coluna que, por exemplo dificulte o andar, é infinitamente baixo.

A dor nas costas afeta cerca de 150 mil portugueses e é a segunda causa mais frequente de idas às urgências hospitalares em Portugal. Podem afetar qualquer um dos segmentos da coluna, variando em intensidade, frequência e características.

A lombalgia é o tipo de dor mais comum, mas existem ainda a cervicalgia e a dorsalgia.

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.