Tem 42 anos, é norte-americana e celebrizou-se ao participar em filmes como «Sete Pecados Mortais» e «A Paixão de Shakespeare», filme com que, em 1999, conquistou o Óscar e o Globo de Ouro de melhor atriz. Mas, para além do talento, também ninguém fica indiferente aos cabelos loiros e à figura esguia de Gwyneth Paltrow. A mulher que, em março 2014, espantou o mundo (pelo menos, o feminino) ao anunciar a separação de Chris Martin, vocalista da banda Coldplay, tem dado que falar, nos últimos anos, pelos cuidados que adota com a saúde e, em particular, com a alimentação.

Depois de «Notes From My Kitchen Table», em 2011, «It's All Good», publicado nos Estados Unidos da América em 2013, é o seu segundo livro de receitas. A Prevenir consultou-o para trazer até si os ingredientes a que a atriz recorre quando quer revitalizar o organismo e perder algum peso. Patrícia Segadães, nutricionista, avaliou-os a pensar em si. Veja, por isso, em que esta mediática obra (não) o pode ajudar a purificar e revitalizar o seu organismo e até a emagrecer, se for caso disso.

A teoria

Tudo começou em Londres, na primavera de 2011, quando um ataque de pânico e uma enxaqueca «horrível», como a caracterizou, a fizeram temer pela vida e motivaram a procurar ajuda médica, conta Gwyneth Paltrow na introdução. E tudo culminou com o diagnóstico de anemia, défice de vitamina D, stresse e inflamação elevados, desregulação hormonal e congestionamento renal, que conduziu à prescrição de uma dieta de eliminação «para limpar e sarar o organismo», revela, elaborada por Alejandro Junger, um cardiologista do Uruguai, célebre nos EUA precisamente pelo seu programa Clean, de 21 dias.

Café, álcool, laticínios, açúcar, marisco, glúten e soja passaram a ser ingredientes proibidos, assim como carne não orgânica e alimentos processados, o que motivou a atriz a aliar-se à amiga Julia Turshen (uma entusiasta da culinária) para criar refeições que cumprissem a prescrição sem pôr em causa o seu prazer a comer. Da colaboração nasceu um livro de receitas que, além de Junger e Turshen, contou com a consultoria (e introdução) de Habib Sadeghi, médico osteopata que dirige uma clínica de medicina integrativa em Los Angeles e que Gwyneth Paltrow diz «ter mudado (e continuar a mudar) a sua vida».

A atriz admite não comer assim todos os dias, mas diz recorrer a este tipo de alimentação sempre que precisa de revitalizar o organismo ou de perder algum peso. Eis os ingredientes que Gwyneth Paltrow ingere e recomenda:

- Ovos orgânicos

Produzidos localmente, de frango, pato ou codorniz. «Os ovos orgânicos são muito mais ricos nutricionalmente, já que as galinhas criadas ao ar livre comem aquilo que estão predispostas a comer, em vez de serem alimentadas por rações. Podemos ingerir até um ovo por dia, sem prejuízo para a saúde», comenta a nutricionista Patrícia Segadães.

- Peixe da região e fresco

A atriz prefere salmão selvagem, filetes de peixe branco pequeno, linguado, solha e perca listada, mas aconselha os da região mais próxima e os mais frescos. «Optar por peixes da região faz toda a diferença, já que mantêm grande parte das suas características nutricionais. Na costa portuguesa existem inúmeras espécies de elevada qualidade. Destaco o carapau, a cavala, a dourada, o linguado, o pargo, salmonetes e o sargo. Sempre que puder, opte por pescado que não seja de aquacultura: ganhará em sabor e qualidade nutricional», opina a nutricionista.

Veja na página seguinte: Outros ingredientes que Gwyneth Paltrow ingere e recomenda

- Aves domésticas

Frango orgânico, peru e pato (inteiro ou picado), salsichas frescas, bacon. «A carne de aves domésticas, com uma alimentação muito mais natural (livre de rações), é muito melhor fonte de nutrientes, até porque as carnes de aves estão, por norma, contaminadas com elevadas doses de antibióticos», adverte Patrícia Segadães.

- Carne vermelha

Gwyneth Paltrow não a come e Julia Turschen apenas «um bocadinho de vez em quando». «Embora sejam fonte de gordura e parte dessa gordura seja saturada, este tipo de carne contém valores de ferro e vitamina B12 muito superiores aos de outras carnes. O seu consumo deve ser moderado (uma vez por semana) e, se possível, de origem biológica», recomenda a nutricionista portuguesa.

- Frescos

Bagas, vegetais de folha verde escura, alho-francês, cenouras, pepinos, pimentas chili, gengibre, ervas frescas e espargos. «Qualquer legume de folha verde escura é uma excelente fonte de ferro e, por isso, um aliado no controlo da imunidade. Também as bagas, os vegetais, como a cenoura, e os tubérculos, como o gengibre são ricos em antioxidantes, logo importantes no combate aos radicais livres. Devem ser consumidos, pelo menos, uma vez por dia», refere Patrícia Segadães.

- Grãos, feijões e legumes

A lista da atriz inclui quinoa normal, quinoa vermelha e quinoa em rebentos, arroz integral, lentilhas, feijão preto e feijão vermelho, grão-de-bico, cogumelos secos e tomate enlatado. «Além de oferecerem hidratos de carbono de absorção lenta, as leguminosas são excelentes fontes de fibra. São, sem dúvida, o melhor hidrato de carbono complexo», considera a nutricionista.

«O arroz é um cereal isento de glúten e, nas versões apresentadas, funciona também como um hidrato de carbono de absorção lenta. Embora tudo o que é natural seja de melhor qualidade, o tomate enlatado mantém grande parte das suas características nutricionais», refere ainda a especialista.

- Laticínios

Gwyneth Paltrow é adepta de leite de cabra ou de ovelha inteiro. Algumas receitas pedem iogurte de leite de cabra ou ovelha inteiro (sem redução de gordura). São aconselhadas as versões cruas e iogurtes sem processamento, a que não foram adicionados corantes, aromas, conservantes ou açúcar. «Existe uma clara mais valia em optar por iogurtes de ovelha ou cabra: têm uma maior digestibilidade porque o seu conteúdo em caseína alfa-s1, uma proteína responsável por grande parte das alergias ao leite, é muito reduzido», afirma Patrícia Segadães.

«Oferece também menos 20 por cento de colesterol. As versões cruas indicadas não contêm qualquer tipo de processamento, adição de orantes ou conservantes, o que os torna muito mais saudáveis», acrescenta ainda a especialista.

Veja na página seguinte: As farinhas e outros alimentos aconselhados pela atriz

- Farinhas e flocos

Gwyneth Paltrow consome farinha universal sem glúten. Verifique, contudo, se contém goma de xantana, um engrossante que dá estrutura à massa sem glúten. Se não contiver, adicione meia colher (de chá) por cada chávena de farinha sem glúten. A atriz também ingere farinha de amêndoa. Usada como alternativa à de trigo, especialmente como parte de um topping crocante em crumbles. Os flocos de quinoa, que também come, são uma boa alternativa à aveia, rica em proteína e sem glúten.

«Com uma percentagem muito reduzida de hidratos de carbono, a farinha de amêndoa é a alternativa ideal à de trigo para recriar receitas. A farinha de arroz integral também pode ser uma boa alternativa, embora tenha mais hidratos de carbono do que a de amêndoa», comenta a nutricionista Patrícia Segadães.

- Outros alimentos

A pasta de miso faz parte das preferências de Gwyneth Paltrow. É usada em temperos e molhos. Feita de grãos de soja fermentados mas também de arroz integral e cevada. Deve ser orgânico e sem organismos geneticamente modificados. «Pode ser um aliado no reforço do sistema imunitário. Deve ser cozinhada a baixa temperatura ou adicionada na fase final de confeção», opina a especialista.

O pão sem glúten, o pão de millet e o pão de arroz também integram a alimentação da atriz, que, alguns dias, também ingere pão com um pouco de glúten, de grãos germinados. «Optar por um pão isento de glúten será sempre uma mais valia, uma vez que esta proteína está associada a uma maior fragilidade da mucosa intestinal, mesmo para aqueles que não lhe são intolerantes», recomenda Patrícia Segadães.

Para temperar, Gwyneth Paltrow recorre a mostarda de Dijon, grosseira com sementes, usada em muitos temperos. O veredito da nutricionista não podia ser mais claro. «Ricas em selénio, magnésio e zinco, as sementes de mostarda têm também efeitos anti-inflamatórios. São extremamente ricas em vitamina A, que tem uma forte ação protetora da pele e das mucosas», avalia.

Veja na página seguinte: Os alimentos que deve ingerir com moderação

Comer mas com moderação

Existem alimentos geralmente rotulados como sendo saudáveis, mas cujo consumo deve ser moderado, segundo Alejandro Junger, o cardiologista que inspirou a atriz. Estes são alguns exemplos:

- Agave

O fabrico deste adoçante envolve um processo altamente refinado e resulta num produto que contém mais frutose do que o xarope de milho rico neste tipo de açúcar. Frequentemente, perturba a digestão, causando gases, inchaço e cólicas.

- Marisco

Está na lista de alimentos a evitar, sobretudo durante os 21 dias do programa detox, porque é, muitas vezes, causa de alergias e sensibilidades alimentares e há relatos de que contém mercúrio (embora muito menos do que peixes grandes como o atum). Mas contém proteínas magras e gorduras não saturadas benéficas (como o iodo, essencial para a produção da hormona tirodeia e para um metabolismo ótimo).

- Soja e tofu

Reconhece que têm características benéficas mas, devido à adição de conservantes, corantes, texturizantes e outros químicos, à presença de fitoestrogénios e à ação sobre a atividade tiroideia, aconselha a consumir com moderação, assegurando-se de que não contêm químicos tóxicos nem provêm de organismos geneticamente modificados.

O que Gwyneth gosta de beber:

- Água de coco

Diz o livro «It’s All Good» que é ideal para beber durante ou depois do exercício físico, sendo uma boa opção em smoothies e receitas. O ideal é usar cocos frescos, mas também existem marcas comerciais. Vale a pena comprar? «A versão natural é difícil de encontrar no nosso país, mas há marcas que a comercializam. O fruto também tem propriedades fantásticas, com destaque para o elevado conteúdo em ácido láurico, um ácido gordo cujo consumo regular está associado ao reforço do sistema imunitário e à perda de peso», comenta Patrícia Segadães, nutricionista.

- Leite de amêndoa

Usado em batidos e smoothies como alternativa ao leite de vaca, mas também em pães e bolos. Pode ser feito em casa ou comprado, de preferência sem açúcar adicionado. «Esta bebida vegetal é uma excelente alternativa ao leite. Prefira fazê-la em casa com amêndoas de boa qualidade, preferencialmente biológicas. Pode ser consumida diariamente», indica ainda Patrícia Segadães.

Veja na página seguinte: Os oito ingredientes mais estranhos que Gwyneth Paltrow ingere

Os oito ingredientes mais estranhos que Gwyneth Paltrow ingere

Muitos deles são desconhecidos da maioria dos portugueses. Saiba em que consistem:

- Gochujang

Pasta de pimentão vermelho feita com pimenta chili e farinha de arroz. Aconselha-se sem MSG (glutamato monossódico).

- Harissa e limões em conserva

Harissa é uma pasta de pimenta chili com sabor picante e frutado. Os limões ficam cortados em salga até se tornarem uma geleia.

- Chipotles

Pimentos jalapeño fumados com molho adobo, picante e de origem mexicana.

- Kimchi

Vegetais em salmoura envolvidos numa pasta de farinha de arroz, açúcar e vários temperos. Fermentado, é usado como condimento.

- Aminoácidos líquidos

Um concentrado salgado de proteínas líquidas sem glúten, feito de grãos de soja que serve de alternativa ao molho de soja.

- Vegenaise

Alternativa à maionese ou ao óleo, usado em produtos de panificação.

- Old Bay seasoning

Condimento feito com semente de aipo e paprica, usado, sobretudo, com peixe crocante.

- Vege-sal

Mistura de sal e vegetais desidratados em pó. Usado em pratos como tosta de abacate e ovo cozido.

Texto: Rita Miguel com Patricia Segadães (nutricionista)

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.