Em comunicado, o Sindicato Nacional dos Técnicos Superiores de Saúde das Áreas de Diagnóstico e Terapêutica (STSS) lembrou que a greve tinha como “objetivo imediato” exigir a retoma das negociações.

A decisão de avançar para uma greve por tempo indeterminado tinha sido anunciada em fevereiro como forma de protestar pelo bloqueio negocial das carreiras por parte do Ministério da Saúde.

Agora, o Sindicato saúda a retoma do processo negocial, estando já marcada uma primeira reunião para o dia 10 de abril.

O presidente do STSS, Almerindo Rego, afirmou à agência Lusa que o processo negocial é complexo, sobretudo por envolver muitas profissões, mas disse esperar que dentro de três meses estejam encerradas as negociações.

Os sindicalistas têm sublinhado que a necessidade de revisão das carreiras dos profissionais de diagnóstico e terapêutica tem sido reconhecida pelos governos nos últimos 14 anos, sem que ainda se concretizasse a alteração pretendida.

Dado que a desmarcação da greve foi decidida e comunicada aos serviços de saúde durante o fim-de-semana, o sindicato espera que se consigam recuperar as marcações de exames e atendimentos a doentes do Serviço Nacional de Saúde (SNS), mas alerta os utentes para eventuais falhas que ainda possam ocorrer.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Lifestyle diariamente no seu email.

Notificações

Os temas mais inspiradores e atuais estão nas notificações do SAPO Lifestyle.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.