A investigação foi apresentada na ASM Microbe, a reunião anual da Sociedade Americana de Microbiologia, em San Francisco.

O canabidiol é o principal composto químico não psicoativo extraído das plantas de canábis e cânhamo e já é usado no combate a uma forma de epilepsia, além de estar a ser investigado para outros tratamentos, incluindo ansiedade, dor e inflamação. O potencial da droga como antibiótico ainda não foi completamente explorado.

A investigação agora divulgada foi liderada por Mark Blaskovich, da Universidade de Queensland, na Austrália, em colaboração com uma empresa farmacêutica. Os investigadores concluíram que o canabidiol foi eficaz a matar uma ampla gama de bactérias, incluindo as que se tornam resistentes a outros antibióticos, e não perdeu eficácia após tratamento prolongado.

“Dado os efeitos anti-inflamatórios documentados do canabidiol”, com números seguros nos seres humanos, e o potencial para outros fins terapêuticos, “é um promissor novo antibiótico que vale a pena ser investigado”, disse Blaskovich, acrescentando que é “particularmente aliciante” a combinação da atividade antimicrobiana com o potencial para reduzir danos causados pela resposta inflamatória às infeções.

Além da eficácia em tratamentos prolongados, segundo os investigadores o canabidiol também é eficaz na destruição de biofilmes, uma forma física de crescimento de bactérias que leva a infeções difíceis de tratar.

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.