Segundo o porta-voz do Serviço de Proteção Civil e Bombeiros do Bié, Eurico Davoca, no período entre 15 de agosto de 2019 e 30 de maio deste ano, 21 pessoas morreram atingidas por raios, nos municípios do Andulo, Camacupa, Chinguar, Chitembo, Cuito, Cunhinga e Nharea.

Naquele período, prosseguiu Eurico Davoca, em declarações emitidas hoje pela rádio pública angolana, os raios deixaram feridas 17 pessoas nos municípios de Andulo, Camacupa, Chinguar, Chitembo, Cuito e Cunhinga.

Na sequência das últimas enxurradas, as primeiras da atual época chuvosa, iniciada em agosto, encontram-se ainda internadas oito pessoas com ferimentos causados por descargas elétricas.

O diretor-geral do Instituto Nacional de Meteorologia e Geofísica (Inamet) de Angola, Domingos do Nascimento, disse que as regiões mais afetadas por este fenómeno no país são as províncias do leste, bem como algumas da parte norte, nomeadamente Uíje e Zaire, que apanha também por vezes Bengo, Luanda e Cuanza Norte.

“Estas são as áreas do país com maior probabilidade de ocorrência deste fenómeno”, disse Domingos do Nascimento, acrescentando que está prevista a instalação de cinco detetores de descargas atmosféricas, que vão cobrir as províncias de Luanda, Zaire, Uíje, Malanje, Lunda Sul, Bié e Huambo.

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.