Das 2067 autópsias a casos de suicídio que o Instituto Nacional de Medicina Legal e Ciências Forenses (INMLCF) conduziu nos últimos dois anos, quase 40% disseram respeito a mortes de idosos (767), e a maioria ainda acontece em homens (600).

O trabalho "O Suicídio de Idosos em Portugal: Estudo de 2 Anos de Autópsias" vai ser apresentado na conferência anual do Instituto Nacional de Medicina Legal e Ciências Forenses (INMLCF), esta quinta e sexta-feira, em Coimbra, com mais de 400 especialistas.

O Serviço de Estatística da União Europeia (Eurostat) estima que em Portugal a percentagem de pessoas com idade igual ou superior a 80 anos tenha atualmente um peso de 5,5% e que este valor ultrapasse os 15% em 2080.

Lisboa, Porto, Faro, Setúbal e Santarém são os cinco distritos com mais casos de suicídios acima dos 65 anos, indicou ao jornal Público João Pinheiro, vice-presidente do INLMCF e autor do trabalho.

"Os homens preferem os métodos mais violentos. Preferem em geral os enforcamentos e as armas de fogo, enquanto as mulheres preferem os chamados métodos mais soft. Só uma mulher recorreu a arma de fogo nestes 700 casos. Predominam os afogamentos, que na nossa população é tipicamente em poços e em zonas rurais e as intoxicações com pesticidas", comentou o médico legista ao referido jornal.

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.