Um tribunal norte-americano condenou a empresa de cosmética e produtos farmacêuticos Johnson & Johnson a pagar 72 milhões de dólares (cerca de 65 milhões de euros) de indemnização à família de uma mulher que morreu de cancro do ovário no ano passado.

Segundo a família, o tumor foi provocado pela utilização continuada, durante décadas, de pó de talco fabricado pela referida empresa, escrevem as agências de notícias internacionais.

Jacqueline Fox morreu em outubro 2015, aos 62 anos. A família argumenta que a empresa sabia dos riscos do pó de talco e que não avisou os consumidores.

Leia também: 10 substâncias químicas prejudiciais à saúde

A empresa nega as acusações e vai recorrer. "Estamos solidários com a família, mas acreditamos firmemente que a segurança do pó de talco cosmético é provada por décadas de evidência científica", cita a Reuters.

De acordo com a instituição de invesigação Cancer Research UK, a relação entre o uso de pó de talco e o cancro do ovário ainda não está provada. "Mesmo que exista risco, é provavelmente pequeno", diz a associação.

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.