O médico foi identificado como sendo Félix Báez Sarría, um especialista em medicina interna, que pertencia à Brigada do Contingente Internacional Henry Reeve, que se encontra na Serra Leoa desde o início de outubro.

Segundo o Ministério da Saúde cubano, a 16 de novembro Báez Sarría, que tratou de pacientes com o vírus, começou a apresentar febres de 38 e 39 graus bem como outros sintomas, sendo transportado para o centro de tratamento para o Ébola na capital.

Na segunda-feira, o diagnóstico foi confirmado. "O nosso colaborador está a ser acompanhado por uma equipa de profissionais britânicos com experiência no tratamento de pacientes com a doença, e estes mantêm comunicação permanente connosco", lia-se na nota do Ministério da Saúde.

Por sugestão da Organização Mundial de Saúde, Báez Sarría será transferido para o Hospital Universitário de Genebra, "um centro especializado com experiência no tratamento de casos infeciosos", indica o comunicado.

Cuba enviou três brigadas de especialistas, incluindo médicos e enfermeiros, para os países da África ocidental mais afetados pela epidemia.

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.