A Autoridade Nacional do Medicamento e Produtos de Saúde (Infarmed) adianta, em comunicado publicado no seu ‘site’, que as empresas Ratiopharm - Comércio e Indústria de Produtos Farmacêuticos e a Teva Pharma - Produtos Farmacêuticos irão proceder à recolha voluntária dos lotes devido “à deteção de uma impureza acima do limite aceitável na substância ativa utilizada para o fabrico destes lotes de medicamento”.

Em causa estão 34 lotes dos medicamentos Losartan Ratiopharm, 50 mg e 100 mg, Losartan Mepha/Teva 50 mg e 100 mg, Losartan/Hidroclorotiazida Ratiopharm 50+12,5 mg e 100+25 mg, Losartan/Hidroclorotiazida Teva 50+12,5 mg e 100+25 mg, comprimido revestido por película.

Na sequência da decisão das empresas, o Infarmed determinou “a suspensão imediata da comercialização destes lotes e apela às entidades que possuam estes lotes de medicamento em stock para não os vender, dispensar ou administrar, devendo proceder à sua devolução.

Os doentes que estejam a utilizar medicamentos pertencentes a estes lotes não devem interromper o tratamento e “logo que possível, devem solicitar a substituição por outro lote ou contactar o médico para substituir por um medicamento alternativo”, recomenda o Infarmed.

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.