Em comunicado enviado à agência Lusa, o CHUC salienta que o equipamento que estava ao serviço no Hospital dos Covões datava de 2005.

"Trata-se de um modelo moderno que permite obtenção de imagens submilimétricas, de alta resolução e que dispõe dos novos algorítmos de reconstrução para uma utilização com baixa dose de radiação", refere a nota.

A aquisição do novo equipamento de TAC insere-se, segundo o CHUC, "na estratégia de atualização tecnológica do Hospital Geral", cujo Serviço de Imagem Médica sofreu obras de remodelação, sem interrupção da atividade.

O novo equipamento e obras de remodelação do serviço orçaram em mais de 270 mil euros.

"Estas obras vieram não só simplificar o acesso às salas de exames com melhor identificação, como garantir a separação de circuitos de doentes infetados e não infetados", sublinha o comunicado.

O CHUC realça que "o fácil acesso a doentes internados é particularmente crítico em contexto pandémico, sobretudo numa altura em que este polo hospitalar passou a ser referência para o tratamento de doentes infetados com covid-19".

O novo equipamento "deu seguimento à atualização tecnológica do sistema de Ressonância Magnética existente no Hospital Geral, efetuada no ano passado, o que conjugado com a modernização do respetivo sistema de refrigeração, otimizou a sua utilização, num investimento superior a 180 mil euros".

"Estes investimentos perspetivam uma atividade do Serviço de Imagem Médica no polo HG, com tecnologia atualizada para a próxima década", estima o CHUC.

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.