Senadores e deputados votaram quase por unanimidade um projeto-lei que autoriza o uso da "sedação profunda e contínua" até a morte para os doentes terminais que o solicitem.

Esta votação sela a aprovação definitiva de um documento parlamentar que reivindicava esse "passo histórico", comentou a ministra da Saúde, Marisol Touraine.

Fruto do trabalho de dois deputados, o texto tinha sido aprovado por uma esmagadora maioria da Assembleia Nacional em março de 2015, antes de ser enviado para o Senado três meses depois.

Depois de vaivéns consecutivos entre as duas câmaras, uma versão consensual foi obtida e assinada a 19 de janeiro.

A nova lei é uma promessa da campanha do presidente socialista François Hollande.

Antes de entrar no Eliseu, em 2012, o chefe de Estado prometeu "assistência médica para morrer com dignidade".

De acordo com um estudo feito no ano passado, a sedação até a morte quando o paciente decide tem o aval de 96% dos franceses.

A eutanásia só é oficialmente legal na Europa em três países (Holanda, Bélgica e Luxemburgo), mas outros autorizam ou toleram formas semelhantes, especialmente a Suíça, que já legalizou o suicídio assistido.

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.