A infromação é avançada hoje pela Procuradoria-Geral Distrital de Lisboa (PGDL).

Segundo a PGDL, está indiciado que, em junho de 2012, em consequência de manobras realizadas pela arguida durante sessões de fisioterapia, com violação dos procedimentos adequados, a doente sofreu fratura do fémur direito causada pela agora acusada e dores intensas e fortes, tendo posteriormente de ser submetida a várias cirurgias com vista à sua recuperação.

Em resultado do sucedido, a doente ficou com um encurtamento de quatro centímetros daquele membro inferior, rigidez do joelho, dores permanentes, dependente de canadianas para se deslocar e de terceiros para realizar atos do dia-a-dia.

A fisioterapeuta encontra-se sujeita à medida de coação de Termo de Identificação e Residência (TIR).

A investigação foi dirigida pelo Departamento de Investigação e Ação Penal (DIAP) de Lisboa.

Veja ainda: 10 recomendações médicas para ter uma saúde de ferro

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.