"A Direção Nacional de Veterinária do Ministério da Agricultura e Segura Alimentar determina a interdição de importação de animais das espécies bovinas, caprina, ovina, suína, seus produtos e subprodutos do território sul-africano", lê-se no comunicado, a que a Lusa teve acesso.

A exceção é para produtos que tenham sido devidamente tratados para a inativação da febre, tais como produtos láteos austerizados, carnes processadas a calor, trofeus, peles e pelos, acrescenta.

A exceção à proibição é para produtos que tenham sido devidamente tratados para a inativação da febre, tais como produtos lácteos pasteurizados, carnes processadas a calor, troféus, peles e pelos, acrescenta a nota.

A febre aftosa foi reportada no dia 07 de janeiro de 2019 na província do Limpopo na República da África do Sul.

As autoridades moçambicanas vão reforçar a fiscalização de produtos e subprodutos de origem animal, conclui.

No ano passado, as autoridades moçambicanas impuseram a proibição da circulação de produtos de origem animal, devido à eclosão de febre aftosa.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Lifestyle diariamente no seu email.

Notificações

Os temas mais inspiradores e atuais estão nas notificações do SAPO Lifestyle.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.