O consórcio português Centro Hospitalar e Universitário de Coimbra (CHUC) e Universidade de Coimbra informou hoje que a empresa HeartGenetics, sediada em Cantanhede, distrito de Coimbra, foi selecionada como "uma das dez melhores ‘startups'", entre cerca de 70 concorrentes de 17 países diferentes.

A empresa portuguesa "desenvolve dispositivos médicos para diagnóstico in vitro e com marcação CE $$Conformidade$$, focados na área da genética cardiovascular", informou o consórcio, que desde domingo integra a Aliança M8 - o G8 da Saúde.

A HeartGenetics usa "kits para testes genéticos associados a ferramentas computacionais", permitindo uma adequação "precisa da terapêutica ao perfil genético de cada indivíduo, com a elaboração automática de relatórios detalhados".

Os produtos desenvolvidos por esta “startup”, resultado de uma ligação entre genética e informática, estão "100% testados e certificados" e "têm capacidade de produzir grandes economias de escala, permitindo obter significativas reduções de custos para diferentes parceiros e em diferentes faixas do mercado", lê-se na nota de imprensa.

Segundo o consórcio, o trabalho desenvolvido pela HeartGenetics permite "acelerar o investimento numa medicina personalizada e de precisão", ao mesmo tempo que reduz "o valor do número de mortes devido a doenças cardiovasculares".

"Os seus testes genéticos são acessíveis, precisos e permitem suportar de forma efetiva o diagnóstico médico", sublinhou o consórcio.

A “startup” desenvolve também um "teste genético para a determinação do risco de desenvolvimento precoce de hipertensão arterial", que, sendo utilizado no Serviço Nacional de Saúde, "permite estimar uma redução de custos associados à hipertensão arterial de 300 milhões de euros por ano".

A Cimeira Mundial de Saúde é a conferência anual da Aliança M8 de Centros Médicos Saúde Académico, Universidades e Academias Nacionais.

É organizada em colaboração com autoridades nacionais, academias de ciências em mais de 67 países e está sob o patrocínio do governo alemão.