“O Governo considerou e aprovou uma proposta do Ministério da Saúde para reduzir o terceiro semestre em duas semanas, a fim de descongestionar as escolas que possam aumentar a vulnerabilidade das crianças às infeções por MVE [Doença por Vírus Ébola]”, disse hoje a Ministra da Educação, Janet Museveni, numa declaração.

“As escolas de enfermagem, primárias e secundárias fecharão para o terceiro semestre na sexta-feira, 25 de novembro de 2022”, afirmou, acrescentando que as escolas “terão de realizar exames um pouco mais cedo a partir da próxima semana”.

O ressurgimento do vírus Ébola, tornado oficial pelo Governo ugandês em 20 de setembro – o primeiro desde 2019 neste país da África Oriental – provocou a morte a 53 pessoas, de 135 casos de infeção, de acordo com dados oficiais de 06 de novembro.

Segundo Museveni, foram identificados 23 casos de infeção em crianças, oito das quais morreram, e 16 outras foram colocadas em quarentena a partir de 04 de novembro de 2022 para avaliar uma possível infeção pelo vírus.

Entre os casos de infeção estão 11 crianças que frequentam cinco escolas na capital Kampala, no vizinho distrito de Wakiso e Mubende, acrescentou.

“O encerramento precoce das escolas reduzirá as áreas de concentração onde as crianças estão em estreito contacto diário com outras crianças, professores e outro pessoal que pode espalhar o vírus”, afirmou a ministra.

As autoridades prolongaram no sábado, por três semanas, o confinamento em dois distritos centrais, epicentros da epidemia, com proibição de viagens e encerramento de locais públicos.

Atualmente não existe vacina para a estirpe do Sudão do vírus Ébola, a que assola o Uganda.

No entanto, o Estado aguarda agora a distribuição de duas vacinas que se encontram na fase final dos protocolos para o estudo antes que a Autoridade Nacional de Medicamentos emita licenças de importação.

A Organização Mundial da Saúde (OMS) juntou-se, entretanto, ao Ministério da Saúde do Uganda para apoiar os testes de vacinas contra o Ébola, devido ao surto desta doença no país.

O Ébola é uma febre hemorrágica viral frequentemente fatal. A doença tem o nome de um rio na República Democrática do Congo (RDCongo), onde foi descoberta em 1976.

A transmissão humana dá-se através de fluidos corporais, sendo os principais sintomas a febre, vómitos, hemorragia e diarreia.

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.