O envelhecimento das populações é uma realidade incontornável a que vamos assistindo e que se vai agravando com o passar dos anos, havendo mesmo previsões que apontam para um aumento exponencial dos seniores em Portugal.

Se esta é uma realidade e, felizmente, a esperança média de vida tem aumentado, é extremamente importante investir num envelhecimento saudável e ativo de forma a não darmos simplesmente “mais anos à vida, mas mais vida aos anos”.

Foi no final dos anos 90 que a Organização Mundial de Saúde, adotou o termo “envelhecimento ativo”, considerando que este assenta num processo de consolidação das oportunidades para a saúde, a participação e a segurança, com o intuito de melhorar a qualidade de vida ao longo do envelhecimento.

A promoção do envelhecimento ativo constitui um desafio para a sociedade, dado que todos nós envelhecemos, a cada dia que passa, desde o dia em que nascemos. Assim sendo, devemo-nos debruçar sobre o envelhecimento e sobre a forma como gostaríamos de envelhecer, bem antes de sermos seniores.

Ainda mais quando já conhecemos o impacto positivo que envelhecer ativamente pode ter na saúde física e psicológica.

A evidência científica tem-nos mostrado que quanto mais os seniores se envolverem, ativamente, nos aspetos sociais, culturais, económicos e políticos da sociedade, em projetos de voluntariado ou simplesmente em atividades que os façam sentir úteis na comunidade, maior é a sua qualidade de vida e menores são os gastos com tratamentos médicos e psicológicos.

A prática regular de exercício físico é uma das formas de promoção desse envelhecimento ativo e dada a importância do mesmo para a manutenção da saúde, é algo em que se tem investido e uma prática já, de certa forma, incorporada pela sociedade. No entanto, é também importante investir na saúde psicológica e em programas de promoção de determinadas competências que vão ajudar os seniores a encontrar um equilíbrio emocional promotor de bem-estar psicológico, evitando muitas vezes as doenças do foro psicológico. Pois estas são também formas de envelhecer ativamente e que ajudam os seniores no seu processo de desenvolvimento pessoal, através do autoconhecimento.

Ou até mesmo através de iniciativas onde os seniores se envolvam por uma causa que considerem válida e que permita que a sociedade comece a encarar o envelhecimento de uma outra forma. É importante dissociar o envelhecimento de algo negativo, da doença, do declínio. Por isso, as questões do envelhecimento ativo são questões da sociedade e são questões da responsabilidade de cada um de nós. Por exemplo, optarmos por um estilo de vida saudável, já é uma forma de contribuir para um envelhecimento saudável. Ter propósitos e objetivos, seja em que idade for, também nos ajuda a manter uma qualidade de vida e a conseguir envelhecer ativamente.

Atrever-me-ia a dizer que o envelhecimento ativo e saudável é um dos fatores protetores da saúde psicológica dos seniores, visto que tem benefícios em termos da sua saúde física, da sua autonomia; ajuda-os a manter as suas capacidades cognitivas e contribui significativamente para a sua felicidade e bem-estar.

Já pensou como gostaria de envelhecer? Será que já começou a contribuir, ativamente, para que possa ter um envelhecimento, o mais saudável possível? Nunca é cedo demais para pensar nisso!

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.