Os dados fazem parte do último boletim epidemiológico divulgado pelo Ministério da Saúde, do qual consta uma taxa de incidência da doença no país de 182,5 mortes e 6.742 casos por 100 mil habitantes.

Em números absolutos, o Brasil, com 212 milhões de habitantes, é o segundo país com mais óbitos em todo o mundo, depois dos Estados Unidos, e o terceiro com mais casos de infeção, atrás da nação norte-americana e da índia.

O foco da pandemia no Brasil continua a ser o Estado de São Paulo, que sozinho é responsável por 2.793.750 dos infetados e 90.810 das mortes de todo o país.

Ainda de acordo com a tutela da Saúde, até ao momento, o país registou a recuperação de mais de 12,6 milhões de casos do novo coronavírus, enquanto que 1.110.686 pacientes infetados estão sob acompanhamento médico.

No momento em que o plano nacional de imunização contra a covid-19 avança a um ritmo lento no Brasil, continuam a surgir relatos de falsas imunizações feitas por profissionais de saúde a idosos.

O caso mais recente ocorreu no Estado de Espírito Santo, onde a neta de Zélia Nascimento de Souza, de 71 anos, verificou que o profissional de saúde colocou a agulha no braço da avó, mas não empurrou o êmbolo, retirando a agulha sem aplicar o imunizante, segundo o portal de notícias G1.

A jovem, de 23 anos, que filmou aquela que seria a imunização da avó contra a covid-19, foi rever as imagens e constatou que o antídoto não tinha sido aplicado.

“Na hora, eu não percebi que ele [profissional de saúde] não tinha apertado. Depois que descobri, levei o vídeo até aos funcionários do posto de saúde e fomos à lixeira, onde vimos a seringa com a dose. O vacinador reconheceu o erro e pediu desculpas. Depois aplicaram uma dose corretamente”, detalhou a neta, Amanda Nascimento.

Num comunicado, a Secretaria de Saúde de Vitória, cidade onde ocorreu o incidente, indicou que o profissional foi afastado do posto de trabalho de forma preventiva, e que será aberto um procedimento administrativo para averiguação dos factos, podendo culminar na sua demissão.

A este caso somam-se outras dezenas que ocorreram em várias regiões do país, desde que as vacinas contra a covid-19 começaram a ser aplicadas no Brasil, em janeiro último.

As falsas imunizações têm sido detetadas pelo próprios familiares dos idosos, que os acompanhavam no momento da vacinação e que gravam o momento através da câmara dos telemóveis.

Casos como esses têm sido incluídos na lista de possíveis fraudes apuradas pela Secretaria Nacional do Consumidor (Senacon), com o apoio do Ministério Público Federal do Brasil.

A pandemia de covid-19 provocou, pelo menos, 3.060.859 mortos no mundo, resultantes de mais de 143,8 milhões de casos de infeção, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.