“Estamos a conseguir cumprir com os níveis que foram determinados no plano regional de vacinação. É apenas esperar que as vacinas cheguem para serem administradas para termos aqui mais um sinal de esperança e de tranquilidade das pessoas”, declarou Clélio Meneses.

O governante falava hoje à comunicação social após uma reunião com a junta de freguesia da Ponta Garça, na ilha de São Miguel.

Clélio Meneses assumiu que o número de vacinas contra a covid-19 que chegam à região “nunca são” em quantidade desejada.

“Estamos neste momento numa fase de aumento de vacinas, no entanto nunca são aquelas que nós desejamos. Cada vez que é anunciado que vem um determinado número de vacinas, quando se confirma, vem menos de que aquelas que tinham sido anunciadas”, afirmou.

E prosseguiu: “É um processo que não depende dos Açores, depende de nós é quando elas chegam cá para administrar as vacinas de acordo com os níveis de prioridade”.

Clélio Meneses avançou que já chegaram à região as 8.500 vacinas da Astrazeneca, anunciadas em 03 de março.

“Por aquilo que está previsto que chegue até ao final do mês de março e mês de abril, conseguimos concretizar com a primeira fase do plano de vacinação”, apontou, referindo-se às vacinas.

O governante disse ainda não estar previsto o adiamento da segunda toma da vacina em pessoas que já tiveram a primeira inoculação.

“Neste momento estamos a tentar cumprir com aquilo que foi determinado, com os 21 dias de intervalo entre a primeira e a segunda dose. Estamos a cumprir com isso e é isso que esperemos que seja concretizado. Depende, como disse, da chegada das novas vacinas”, apontou.

Clélio Meneses foi hoje à Ponta Garça, freguesia do concelho de Vila Franca do Campo, para “cumprir um compromisso” de “saudar a população”, que esteve em cordão sanitário entre 15 e 22 de janeiro.

“Neste momento, temos zero casos em Ponta Garça, é uma situação claramente de sucesso e temos também de realçar as boas notícias e os casos exemplares”, apontou.

Sobre o cordão sanitário à vila de Rabo de Peixe, que vigora desde 15 de janeiro, Clélio Meneses disse ser necessário perceber a origem dos cinco casos positivos de covid-19 anunciados hoje naquela freguesia.

“Com a consolidação dos números positivos serem menos daquilo que têm sido, levantaremos a cerca [em Rabo de Peixe]. Neste momento estamos nessa avaliação. Esperemos mais uns dias para perceber se esses números de hoje são esporádicos ou têm uma explicação clara”, disse.

Nas últimas 24 horas foram registados seis novos casos de covid-19 nos Açores, todos no concelho da Ribeira Grande, na ilha de São Miguel. Desses, cinco foram na freguesia de Rabo de Peixe e outro foi na freguesia da Conceição.

Atualmente, a região conta com 89 casos positivos ativos: 78 em São Miguel, nove no Pico e dois na Terceira.

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.