De acordo com o último boletim epidemiológico publicado no sábado, na semana de 3 a 9 de abril foram notificados 231 novos casos confirmados e 3.560 suspeitos de Zika.

Desde o início da epidemia, em outubro, foram relatados "3.292 casos confirmados e 65.338 suspeitos". Destes, 12.380 são mulheres grávidas.

A Colômbia reportou na quinta-feira os dois primeiros casos de microcefalia associada ao vírus, um dia depois de cientistas americanos confirmarem que o vírus provoca a doença e outros problemas neurológicos em fetos.

O vírus zika foi identificado pela primeira vez em Uganda, em 1947, e os sintomas são leves: eczema, dores nas articulações e febre.

O Zika propaga-se entre humanos através do mosquito Aedes aegypti, presente em 130 países e que também transmite dengue, febre amarela e Chikungunya.

Estudos recentes afirmam que este vírus também pode ser transmitido sexualmente entre seres humanos.

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.