A vibrolipoaspiração permite lipoaspirar zonas de mais difícil acesso, com melhores resultados em termos da uniformidade da pele.

Trata-se de uma técnica superficial,
ou seja, remove gordura instalada junto à pele, mantendo intacta a matriz de colagénio, o que favorece a retracção
dos tecidos, mesmo nas peles maduras.

Consegue, por isso, bons resultados em pele envelhecida e flácida. O traumatismo da zona tratada é muito menor que na lipoaspiração convencional. Logo, o pós-operatório é menos doloroso do que na lipoaspiração tradicional. Além disso, o cirurgião não faz esforço físico para manobrar o punho vibratório podendo,
concentrar-se na precisão de cada gesto para que as incisões seja mínimas.

Os passos da intervenção

Marcação
Faz-se imediamente antes da operação. É necessário que a paciente esteja de pé, nua. Marcam-se as zonas que é preciso remodelar e os locais das incisões. O médico vai informando a paciente de tudo o que vai fazer para esteja preparada para o que vai acontecer.

Anestesia
A intervenção cirúrgica pode ser realizada sob anestesia local, epidural ou
anestesia geral, conforme as zonas a intervir e a quantidade de gordura a extrair.
A escolha é feita pelo médico em função destes factores.

Infiltração tumescente
Trata-se de um cocktail à base de soro salino misturado com uma substância vasocompressora e um pouco de anestesia que se injecta em toda a área a tratar uns minutos antes de começar a lipoaspiração.

Assim, consegue-se minimizar o sangramento e, graças ao soro, provoca-se a tumescência da zona (os tecidos endurecem). Isto ajuda a regular a quantidade de gordura que se deve aspirar para que o resultado seja uniforme.

A gordura aspirada

Para evitar que a operação se converta numa cirurgia de risco, não se deve aspirar mais de 4 litros de gordura e a intervenção não deve prolongar-se por mais de 3 horas. As incisões que se realizam para introduzir as cânulas são de 4 ou 5 mm e estão estrategicamente localizadas para que não se vejam mesmo quando se usa biquini. O procedimento é o seguinte:

- Aspira-se a zona do sacro (sobre os glúteos) desde as costas, para que fique um contorno bonito e feminino. As mesmas incisões servem também para tratar a área das axilas e dos flancos, definindo bem a cintura.

- O baixo-ventre faz-se com incisões do umbigo e desde a púbis, enquanto que a zona do estômago se pode aspirar através de uma pequena incisão no sulco sub-mamário.

- Por último, suturam-se as incisões com pontos subcutâneos realizados com fio absorvível (ou seja, não há necessidade de tirar os pontos). A cicatriz que fica é uma linha muito fina, praticamente imperceptível.

- Após a cirurgia, coloca-se uma compressa para controlar a inflamação e o sangramento e para ajudar a pele a adaptar-se ao novo contorno. Na primeira semana, é necessário usá-la permanenemente, mesmo para dormir. Depois, basta usá-la durante o dia.


Veja na página seguinte: Para quem está recomendada esta intervenção

Para quem está recomendada esta intervenção

Este procedimento é indicado para mulher sãs, com distribuição andrógina da gordura (flancos, abdómen, contorno da axila, costas e braços).

A técnica utilizada é a vibrolipoaspiração (lipoaspiração superficial por vibração) combinada com infiltração tumescente.

Esta cirurgia é feita com recurso a anestesia local com sedação. A duração varia entre 1 e 3 horas, em função de cada caso. O pós-operatório envolve ambulatório ou uma noite de internamento para evitar hematomas.

O tempo de recuperação é de uma semana para voltar ao trabalho e 2 meses para ver os resultados definitivos. O preço desta intervenção varia entre os 2.000 e 4.000 euros, dependendo de cada caso. Inclui a totalidade do tratamento, nomeadamente a anestesia, a cirurgia, o internamento hospitalar, as massagens de drenagem linfática e as consultas de acompanhamento pós-operatório.

A
recuperação

No pós-operatório, as pacientes devem usar cintas especiais e submeter-se a massagens de drenagem linfática. A recuperação inicial pode ir de 48 horas a sete dias, conforme a extensão das áreas lipoaspiradas.

Resultados

No fim do primeiro mês, a inflamação diminui e pode começar a apreciar-se a redução de volume e a retracção da pele. Aos dois meses, os resultados da lipoaspiração evidenciam--se perfeitamente numa figura mais estilizada e proporcionada, com linhas femininas muito definidas.

A partir daí, se quiser manter as formas, o truque é não engordar. Tem que seguir uma dieta equilibrada, rica em legumes e frutas e praticar actividade fisica duas ou três vezes por semana.

Nos casos em que exista flacidez (o que sucede, frequentemente, depois dos 40, ou após múltiplas gravidezes), a vibrolipoaspiração, tal como a lipoaspiração, pode ser complementada por técnicas cirúrgicas de excisão, como a miniabdominoplastia (excisão do excesso de pele na barriga), a ritidectomia (lifting) da face interna das coxas ou a braquioplastia (excisão do excesso de pele nos braços). Tratam-se, contudo, de técnicas que deixam cicatrizes visíveis, pelo que devem ser bem ponderadas.

Que complicações
podem surgir?

Infecção
Raramente ocorre se a intervenção for realizada num bloco operatório ou sala cirúrgica sob medidas de assepsia rigorosas.

Hematatomas
As chamadas nódoas negras são características numa lipoaspiração, mas a técnica de vibrolipoaspiração reduz significativamente a sua incidência. De qualquer forma, tendem a reabsorver espontaneamente, ainda que em alguns casos possam deixar pigmentações desiguais que necesitam de posterior tratamento cosmético.


Veja na página seguinte: Outras possíveis complicações a ter em conta

Embolismo pulmonar
É considerada a primeira causa de morte por lipoaspiração, mas é uma complicação muito pouco frequente.

Ocorre quando um vaso sanguíneo que desemboca no pulmão sofre uma oclusão por um coágulo de sangue que se pode ter deslocado até ali a partir de uma das zonas aspiradas.

Para evitar o embolismo é fundamental andar a pé durante uns minutos várias vezes ao dia, a partir do segundo dia após a intervenção.

Irregularidades estéticas
Devem-se a uma incorrecta execução da técnica de lipoaspiração, que pode produzir acumulações residuais de gordura, depressões e falta de uniformidade. Estas irregularidades são pouco usuais na lipoaspiração superficial. Ainda assim, pode-se realizar uma nova intervenção para corrigi-las.

Dicas para uma recuperação mais rápida

Na maioria dos casos, as limitações são reduzidas, sendo possível realizar muitas das actividades habituais. Nos casos em que se lipoaspiram maiores quantidades de gordura, deve haver limitaçao de actividade durante uma semana, mas não repouso, uma vez que o repouso pode ser causa de complicações, como a embolia pulmonar (é uma complicação pouco frequente, mas convém descartá-la).

Pode-se prescrever um analgésico suave, no caso de sentir dores. Ir à consulta em dias alternados, para realizar 10 sessões de massagem de drenagem linfática, começando na semana da intervenção, é outra das recomendações.

Em alguns casos, pode ser aconselhado fazer bicicleta estática a partir da segunda semana. Deve ainda ir a todas as consultas de acompanhamento, para que o médico possa controlar a evolução até à total recuperação (que deve acontecer no segundo mês). A periodicidade das consultas varia consoante o cirurgião e a pópria recuperação da paciente.

Texto: Ana Prista

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.