Nada passa de um dia para o outro, nem estas dicas são a solução. Mas, quando interiorizadas e materializadas são uma preciosa ajuda que, como muita coisa na vida, requerem trabalho.

Aceitar
Está mais do que claro que o ser humano não aceita nem gosta de ouvir um 'não' por si só! Não obstante, podem existir situações em que a pessoa não fica sequer a saber ou a perceber o porquê da rutura. No entanto, tem de pensar que não basta gostar para que dê certo e tem de se mentalizar que foi melhor assim. Afinal de contas quem é que quer ficar com alguém que não quer ficar connosco?!

Distância
Numa rutura é essencial que haja um distanciamento. Ver a outra pessoa ou saber coisas acerca dela não irá fazer bem nenhum, antes pelo contrário! Irá cair na constante pergunta do porquê. Aguarde até que a mágoa, o sentimento, a saudade, etc... se desvaneça. Uma amizade pode existir, mas ao fim de um tempo e quando já não exista nenhum tipo de elo de ligação.

Desabafar
Não acumule tudo para si porque só vai sentir-se pior e a tendência para ganhar rancor é grande! Chore, ria, bata em almofadas, mas livre-se desse peso no peito. Os amigos servem para estas alturas e deverá rodear-se por eles.

Não se isole
Tal como o desabafo, é imprescindível que saia de casa, ainda que não lhe apeteça. Combine saídas com os seus amigos, almoços de família, etc... contrarie a falta de vontade e troque o sofá pelo ar puro.

Dar tempo ao tempo
O tempo tudo cura! E não, não é nenhum cliché. De certo que já passou por outras provações na vida e agora 'olha' para elas, encolhe os ombros e pensa como foi possível despender tanto do seu tempo com o assunto. A vida continua e só tem de a ir saboreando aos poucos até ao dia em que nem se vai lembrar do sucedido. Hoje pensa todos os dias, para o mês que vem só pensa dia sim dia não e quando menos esperar.... já não pensa sequer.

Defeitos vs qualidades
Numa rutura a tendência é minimizar os defeitos do outro ou a vivência com o outro. Há a propensão para só haver lembrança dos aspetos positivos do ex quando na verdade, muitas das vezes, a sua relação não era assim tão saudável. A questão é o receio de ficar sozinho e achar que apesar de tudo (discussões, ciúmes, incompatibilidades, entre outros) até estavam bem um para o outro. Não se iluda! Mais vale só que mal acompanhado.

Stalker
Deixe as investigações para a polícia e gaste o seu precioso tempo com algo que realmente interessa e lhe faça bem. Hoje em dia com as redes sociais a tentação de andar sempre a bisbilhotar é grande, mas resista porque esse comportamento obsessivo não lhe vai fazer bem nenhum. Só vão servir para criar cenários que nem sempre são verdade!

Mime-se
Tenha sempre esta máxima no pensamento 'se eu não gostar de mim, quem gostará?'. Pode mudar (e deve) de look, mas isto não chega. Habitue-se à sua pessoa e ame-se como é. Afinal de contas você não nasceu com ninguém preso a si, certo (o cordão não conta)?! Se não o sabe fazer... aprenda! Não fique em casa só porque nesse dia o seu amigo não estava disponível. Vá ao cinema sozinho, faça desporto, leve um livro ou jornal e vá até a uma esplanada, leve os phones e apanhe sol na praia, compre os ingredientes e faça o seu jantar preferido, etc etc... Não se esqueça que o seu estado de espírito é percetível a quem o rodeia, amigos e desconhecidos, e deve tentar ao máximo dar a volta por cima porque isso vai ser notado pelos outros!

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.