Todos sabemos que não existem duas famílias iguais mas, em contrapartida, há passos que se podem dar em direção à harmonia familiar, muitas vezes afetadas pela alienação parental, um dos muitos fenómenos sociais dos dias de hoje. Para combater esse e outros problemas, propomos-lhe cinco dicas práticas, extraídas do livro «The family first workbook», do psicólogo Phil McGray, apresentador do programa de televisão Dr. Phil, que lhe poderão ser muito úteis. Siga-as e aumente a coesão familiar no seu lar!

1. Crie uma organização familiar

Durante uma semana, aponte numa agenda todos os momentos que passa em família para saber se está a dedicar o tempo e a energia suficientes. Estabeleça os diferentes papéis de cada membro e não se demita do seu papel de autoridade.

2. Promova ritmo na sua vida

Imagine que a sua família é uma banda de música, ou seja, se não seguirem o mesmo ritmo, o resultado é caótico, não haverá harmonia. Não deixe que ninguém de fora imponha o ritmo da sua vida. Crie um calendário com todas as atividades que quer realizar em família.

3. Siga e crie tradições

Os rituais e tradições podem juntar as famílias e criar um poderoso sentimento de pertença. Faça uma lista com todas as datas importantes e porque não criar o dia da família, onde pode, por exemplo, iniciar a árvore genealógica da sua.

4. Estimule o diálogo

A comunicação ativa é a porta para a construção de uma família de exceção, mas nos tempos que correm as famílias comunicam cada vez menos. Contrarie esta tendência.

5. Antecipe as crises

Não precisa de esperar por uma crise para ter um plano de ação contra aquela. O ideal é fazer uma lista com os possíveis motivos de conflito e uma outra com as atitudes que deve tomar no momento de crise.

Veja na página seguinte: Conselhos para potencializar a convivência familiar

Conselhos para potencializar a convivência familiar

De acordo com Lídia Weber, especialista em psicologia do desenvolvimento da familia, brasileira, existem alguma regras básicas e essenciais para promover a convivência em família:

- Alto grau de respeito em relação a individualidade, autonomia e privacidade entre os membros

- Comunicação aberta e clara, usando o humor regularmente

- Manter outras relações além das familiares

- Os pais devem desenvolver o sentimento de independência da sua própria família e passar isso ao seus filhos. É importante que as crianças se autonomizem também no que se refere a algumas tarefas, sob pena de ficarem demasiado dependentes dos progenitores e de se sentirem inseguras em situações em que estes não estão forçosamente presentes

- Os progenitores devem manter um limite entre gerações dentro da família, no qual os papéis de adultos e de crianças são claros

- Os pais devem ter expetativas realistas de cada um dos filhos

Texto: Rita Caetano com Lídia Weber (especialista em psicologia do desenvolvimento familiar)

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.