Devido ao protesto dos trabalhadores, o Centro de Bem Estar Infantil (CBEI) não estava, cerca das 10:00, a funcionar de forma regular, segundo fontes sindical e da instituição.

Os 84 trabalhadores, 14 dos quais docentes, que estão concentrados junto à instituição até às 12:00, exigem que o Centro de Bem Estar Infantil de Vila Franca de Xira, no distrito de Lisboa, pague o salário do mês de dezembro e que seja aplicado e cumprido de forma efetiva o Contrato Coletivo de Trabalho.

Em declarações à agência Lusa cerca das 10:00, Deolinda Fernandes, dirigente do Sindicato dos Professores da Grande Lisboa, explicou que os trabalhadores docentes e não docentes da instituição “estão a trabalhar sem receber e num sufoco financeiro”.

“O que está em causa é o salário do mês de dezembro que não foi pago aos trabalhadores. Estranhamente ontem [terça-feira] em véspera de pré-aviso de greve, a direção convocou uma reunião com os trabalhadores para informar que não tem dinheiro para pagar os salários, que vai pagar o salário do mês de dezembro em tranches e janeiro vai pagar 50%”, adiantou.

Para Deolinda Fernandes, a grande questão é “como é que os trabalhadores vão conseguir honrar os seus compromissos pessoais”.

“A justificação é que não têm dinheiro, mas isso não pode ser justificação. Está regulado quer no contrato coletivo de trabalho quer no código de trabalho, por isso, o empregador tem de pagar”, disse.

A dirigente lembrou que o CBEI é uma Instituição Particular de Solidariedade Social (IPSS), sem fins lucrativos, que dirige a atividade para crianças, jovens, famílias e comunidade em geral e tem financiamento público.

“Tem financiamento público que vem do Ministério do Trabalho, do Ministério da Educação e, por exemplo, em relação aos educadores de infância no pré-escolar, as instituições recebem na integra os vencimentos dos educadores. Com estes não tem encargos”, sublinhou.

Por isso, Deolinda Fernandes considera importante que se faça fiscalização, pois trata-se de financiamento público, logo, dinheiro dos contribuintes.

“Era importante que fizessem uma fiscalização do dinheiro. Os trabalhadores estão a trabalhar sem receber. Estão aqui em luta pela manutenção dos seus postos de trabalho, mas querem que a instituição pague a sua retribuição”, disse.

A dirigente adiantou também que o sindicato vai ter uma reunião no dia 20 de janeiro na Câmara de Vila Franca de Xira, que também tem acordos com a instituição, para falar sobre a situação.

A agência Lusa tentou, sem sucesso falar com a direção do CBEI, por esta estar em reunião.

Na semana passada, a direção do CBEI justificava, numa nota publicada na sua página na Internet, o não pagamento dos salários com “motivos exógenos ao CBEI e que não permitiram honrar o compromisso de forma regular”.

O protesto foi convocado pelo Sindicato dos Trabalhadores em Funções Públicas e Sociais do Sul e Regiões Autónomas e pelo Sindicato de Professores da Grande Lisboa.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Lifestyle diariamente no seu email.

Notificações

Os temas mais inspiradores e atuais estão nas notificações do SAPO Lifestyle.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.