O número de crianças com menos de 15 anos a viver no Japão em 01 de abril, quando começou o novo ano fiscal, era de 14,65 milhões, menos 250 mil do que no ano anterior e o número mais baixo desde que tais dados começaram a ser registados em 1950, indicou um relatório do Ministério do Interior japonês, divulgado na véspera do Dia da Criança, feriado no país.

O número de rapazes é de 7,51 milhões e o de raparigas é de 7,15 milhões.

O rácio de crianças para a população total também caiu para um mínimo histórico de 11,7%, um décimo abaixo do ano anterior, num declínio que se regista há 41 anos consecutivos.

O Japão tem a mais baixa proporção de crianças deste tipo entre os 35 países do mundo com mais de 40 milhões de pessoas, depois de Itália (12,9%) e Coreia do Sul (11,9%), de acordo com as estatísticas da ONU.

Por faixa etária, o número de crianças entre os 12 e 14 anos foi de 3,23 milhões, em comparação com 2,51 milhões de crianças com menos de 2 anos, refletindo a tendência de declínio nos nascimentos.

Em 01 de outubro passado, todas as 47 prefeituras do Japão tinham sofrido um declínio na população infantil em relação ao ano anterior, pela primeira vez desde 1999.

A província de Okinawa, no sudoeste do arquipélago, tem a maior proporção de crianças, com 16,5%, enquanto a província de Akita, no norte, tem a mais baixa, com 9,5%.

A população infantil do Japão atingiu um pico de 29,89 milhões em 1954. O número recuperou brevemente no início dos anos de 1970, mas tem vindo a diminuir de forma constante desde 1982.

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.