De acordo com dados do Ministério do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social (MTSSS), apresentados hoje no decorrer de uma audição regimental do ministro José Vieira da Silva na comissão parlamentar de Trabalho e Segurança Social, o Governo já pagou 792 milhões de euros em abonos de família durante o ano de 2019.

Esse valor representa um aumento de cerca de 10% face aos 718 milhões de euros gastos em 2018 e de 22,7% em comparação com a verba destinada para esta prestação social, em 2016, que foi de 645 milhões de euros.

No global dos quatro anos, entre 2016 e 2019, o Governo gastou 2.830 milhões de euros, mais 9% do que os 2.588 milhões de euros atribuídos entre 2012 e 2015.

O valor médio pago por beneficiário, por mês, também tem sofrido aumentos, passando de 59,30 euros em 2016 para 71,70 euros em 2019.

Em sentido contrário, está o número de crianças e jovens que têm direito ao abono de família, que tem vindo a diminuir ao longo dos últimos quatro anos.

O número de crianças e jovens com direito a esta prestação social era de 1.116.522 em 2016 contra 1.108.726 contabilizados em maio de 2019.

Relativamente ao Rendimento Social de Inserção (RSI), os dados do Governo mostram um aumento da despesa, que este ano vai já em 381 milhões de euros.

Outra prestação cuja despesa tem aumentado é o Complemento Solidário para Idosos que em 2018 representou uma despesa de 214 milhões de euros e que em 2019 já atingiu os 265 milhões de euros.

No global, relativamente a toda a despesa com ação social, os números do Governo mostram um aumento gradual desde 2012, sendo que para este ano estão destinados 1.558 milhões de euros, mais 107 milhões de euros do que no ano passado.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Lifestyle diariamente no seu email.

Notificações

Os temas mais inspiradores e atuais estão nas notificações do SAPO Lifestyle.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.