A Associação Nacional de Diretores de Agrupamentos e Escolas Públicas (ANDAEP) diz que a falta de pessoal não docente nas escolas é grave e está a comprometer a qualidade do apoio aos alunos. O presidente da ANDAEP, Filinto Lima, garante que não há um único agrupamento escolar em todo o país que não tenha falta de auxiliares, escreve a TSF.

"Somos 811 agrupamentos e todos, sem exceção, têm escassez de funcionários e têm pessoas em casa de baixa médica. Portanto eu aponto para algumas centenas [de funcionários em falta]. Era necessário, de facto, dar um passo de gigante ao nível da contratação do pessoal não docente para que este problema que persiste no sistema educativo há muitos anos deixasse de o ser", conta Filinto Lima.

Situações em baixa médica

A Associação admite que o Ministério da Educação alerta ainda que muitos funcionários estão de baixa médica em casa e não são substituídos pela tutela. "É uma sensibilidade que o nosso Ministro das Finanças devia ter com a educação. É a falha de recursos humanos, de pessoal não docente, de quem lida diariamente com as escolas, de quem apoia os alunos e os professores, de quem presta um serviço inestimável às escolas", cita a referida rádio.

Também a Confederação Nacional das Associações de Pais (CONFAP) considera que o número de assistentes operacionais é insuficiente. "Ora se fecha uma reprografia, ora uma biblioteca que devia estar aberta, muitas vezes estão fechadas porque nessa altura o funcionário está a dar apoio num outro serviço", critica Jorge Ascensão.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Lifestyle diariamente no seu email.

Notificações

Os temas mais inspiradores e atuais estão nas notificações do SAPO Lifestyle.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.