A Formação Profissional da Fundação AFID Diferença, nomeadamente o curso de Jardinagem e Manutenção de Espaços Verdes, tem uma componente bastante prática e a base de aprendizagem dos seus clientes é feita maioritariamente através da prática.

Os formandos têm formação técnica, recorrendo ao uso de ferramentas e utensílios adequados à aprendizagem da profissão, e, além disso, têm a possibilidade de realizarem estágios em contexto real de trabalho.

Durante todo o processo formativo, aprendem a plantar espécies ornamentais, a preparar o terreno para a instalação, manutenção e limpeza de jardins, tendo em conta cada uma das espécies e a fazerem manutenção e limpeza de relvados e arruamentos.

Os formandos têm, também, a oportunidade de operar com máquinas de jardinagem, como o corta-relva, sempre com o acompanhamento e supervisão do formador.

Por fim, começam a ter autonomia para fazerem a limpeza dos equipamentos, das máquinas e das instalações inerentes ao trabalho desenvolvido.

Toda a formação é realizada com recurso ao método demonstrativo (aprender fazendo) e tem como objetivo que os clientes adquiram as competências técnicas e socioprofissionais da profissão num ambiente o mais aproximado possível do contexto real de trabalho. Isto porque, a generalidade dos formandos aprende melhor com o ver fazer e o fazer, do que com a teoria, não que esta não exista, mas é adaptada às capacidades cognitivas de cada um.

Os testemunhos

Na Fundação AFID Diferença são os jovens – raparigas e rapazes – que frequentam o curso de Jardinagem e Manutenção de Espaços Verdes que fazem a manutenção de todo o jardim da sede, desde o varrer até ao cortar a relva, limpar arruamentos, etc.

“Adoro jardinagem, porque gosto de apanhar folhas e gosto de plantar e semear”, confessa Jonas Antunes.

“Gosto de tratar as plantas e colocar as sementes na terra para depois regar. Também gosto de varrer a relva e de mexer na terra com as mãos e de mexer nas plantas. Não gosto de usar o corta-relva porque é perigoso para mim”, revela Rita Nunes.

“Adoro varrer o relvado e os passeios, apanhar as folhas que caem e depois despejar na compostagem. Quero experimentar trabalhar com o corta-relva”, diz Ricardo Ramada.

“Gosto de varrer, mas às vezes cansa-me varrer tanta caruma. Gostava de usar a roçadora, mas é muito pesada. No entanto, já experimentei usar o corta-relvas uma vez com a ajuda da formadora”, afirma Ailton Moreira.

Após terem sido dadas as bases formativas e ao verificar-se que o formando adquiriu os conhecimentos e as técnicas, os mesmos encontram-se aptos para a sua prática em contexto de trabalho.

A prática em contexto de trabalho, traduzida em estágios no exterior da Fundação, em empresas, Juntas de Freguesia – ex: Alfragide –, Câmaras Municipais – ex: da Amadora –, etc., é um meio de o jovem ter a perceção do que é o mercado de trabalho.

“Adorava ir para estágio fazer plantações e plantar e cortar relva. Gostava de experimentar trabalhar num viveiro”, diz Jonas Antunes.

Afid Diferença
créditos: AFID Diferença

Os locais de estágio são pensados tendo em consideração as características individuais de cada um. Assim, a formandos que beneficiam de tarefas rotineiras, ambientes calmos, entre outras características, tenta-se encontrar locais de estágios que potenciam as competências do mesmo, mas que também respeitem e valorizem as características individuais deste.

“Vejo os outros a trabalharem e gostaria de fazer igual. Além de que gostaria de ganhar o meu próprio dinheiro para poder comprar uma casa”, adianta Cláudio Pires.

O estágio é um período para o jovem poder crescer enquanto pessoa, mas também enquanto trabalhador, sendo também um período para aqueles que, em contexto direto trabalham com o “aprendiz”, possam crescer também enquanto pessoas.

Em última instância, e tendo como principal objetivo promover uma vida ativa com qualidade para as pessoas com deficiência e combater a exclusão social através da formação profissional, o estágio é um complemento para capacitar o formando para o mercado de trabalho, mas também para capacitar a sociedade para uma sociedade mais inclusiva.

Texto: Ana Sofia Sousa, Coordenadora da Formação Profissional da Fundação AFID Diferença; Maria Helena Alves, Formadora do curso de Jardinagem e Manutenção de Espaços Verdes.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Lifestyle diariamente no seu email.

Notificações

Os temas mais inspiradores e atuais estão nas notificações do SAPO Lifestyle.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.