Assim como aconteceu há dez anos, quando anunciou que estava grávida pela primeira vez no programa 'Alta Definição', Cláudia Vieira voltou a dar a mesma novidade no formato. Uma novidade que o Fama ao Minuto já tinha avançado.

"Vou realizar um dos meus maiores sonhos que era ter um segundo filho, dar um irmão à minha filha. Vou ser mãe", anuncia assim a atriz e apresentadora em conversa com Daniel Oliveira. "Era uma coisa que eu queria muito, muito, muito", acrescentou, com um rasgado sorriso no rosto e um brilho nos olhos.

De seguida, a atriz explicou como conseguiu esconder a novidade até agora. "Como a minha personagem de 'Alma e Coração', a Diana, deu essa notícia há relativamente pouco tempo, as pessoas, se calhar, misturam um bocadinho as coisas e pensam: ela está contagiada pela personagem", referiu.

"Tornou-se muito especial porque, de repente, eu estava a gravar, a dar a notícia ao Rodrigo [personagem interpretada por José Fidalgo na novela] de que ia ser pai e tinha descoberto há uma semana que ia ser mãe de verdade. Foi fácil demais fazer aquela cena porque estavam muito presentes as emoções que senti quando descobri e partilhei com o João que ele ia ser pai. E ao mesmo tempo gravar de barrigão, e saber que dentro de mim está tudo a acontecer, é uma emoção gigante e uma vontade de gritar para o mundo e dizer a toda a gente. Mas não pode ser porque há uma determinada fase em que o sigilo é necessário por diversos motivos, mas acima de tudo porque o risco de se perder nos primeiros três meses é gigante, então queria esperar pelos três meses", acrescentou.

Mas não ficou por aqui. "Foi uma gestão difícil até porque estou a aperceber-me que, como é a segunda gravidez, a barriga está a crescer e a dar nas vistas muito mais", confessou, referindo que nos últimos três meses começou a escolher melhor a roupa e a optar pelas mais largas para tentar esconder a gestação. Mesmo as fotografias que foi partilhando no Instagram nos últimos tempos, as poses foram pensadas nesse sentido.

Este é o segundo filho de Cláudia, mas o primeiro em comum com o atual companheiro. É um bebé "muito desejado". "E muito à procura da altura certa. A vida dá-nos voltas que nos surpreendem e temos que nos readaptar. Essa readaptação leva tempo e ganhámos algumas dificuldades para algumas coisas, nomeadamente o avançar para um segundo filho, constituir novamente a minha família, e estava com muito receio", partilhou.

O dia em que contou à filha que ia ter um irmão ou irmã

Esse momento foi feito "de uma forma precipitada", pois estava "realmente muito feliz". "Ela [a filha] soube antes da primeira consulta com a médica, ou seja, após os testes que se fazem em casa. Foi à primeira consulta comigo e foi mágico, espetacular. Disse-lhe: a mãe tem uma coisa para te contar e a primeira pergunta que te faço é o que é que tu mais queres nesta vida. E ela olha para mim, olha para a minha barriga e diz: 'um mano' e fica naquela ansiedade. Eu confirmo isso, a medo de estar-me a precipitar, mas eu não conseguia resistir", lembrou.

Cláudia destacou que a filha conseguiu guardar segredo da gravidez como a mãe lhe pediu, apenas escolheu uma amiga para contar e ficou encarregue de contar à tia, irmã de Cláudia.

"Sabia que podia contar com ela neste momento absolutamente incrível porque era uma coisa que nós as duas queríamos muito. Sem dúvida alguma que a Maria tem um instinto maternal gigante, foi denunciando isso desde sempre e é incrível com todos os bebés à nossa volta, ela é sempre aquela criança que fica a brincar com ele, a entreter e a fazê-lo sem ser sacrifício", acrescentou, frisando que a menina pediu muitas vezes um irmão.

E como é que contou ao namorado?

João Alves não podia ter ficado mais feliz com a notícia porque era um desejo seu ser pai. Por isso, recordou Cláudia, inicialmente ficou confuso, "parecia que não estava nele". "Contei com a felicidade porque era uma coisa que ele queria muito e que já vínhamos a falar nisso há muito tempo", disse a atriz.

João trouxe essencialmente "paz e amor" à sua vida, sendo ele uma "pessoa muito cuidadosa com as coisas à sua volta", cuidado que Cláudia destacou e que a deixa "agradada".

'Alma e Coração': A cena que a levou a optar por uma dupla

Depois de descobrir que estava grávida, Cláudia teve que comunicar a informação aos responsáveis pelo projeto que integrava, a novela 'Alma e Coração'. Isto porque tem que ter alguns cuidados redobrados.

Mesmo que seja uma pessoa aventureira, tenta não se colocar a certas cenas que possam ser perigosas para a gestação, e recordou o momento em que teve que optar por solicitar a ajuda de uma dupla.

Tudo aconteceu quando a sua personagem tinha que saltar para dentro de uma piscina a arder. "Gosto de aventura e a coisa ia ser feita de uma forma com todo o cuidado e segurança possível. Mas optamos por fazer com uma dupla", admitiu, lembrado que na altura toda a equipa ficou espantada com o facto de não fazer a cena, isto porque não sabiam que estava grávida.

Como vive a gravidez?

"Sou muito prática numa forma geral de estar na minha vida. Por um lado, já sei o processo de tudo, estou a sentir algumas coisas a acontecer comigo, estou a ter alguns cuidados. [...] Não estou menos ansiosa porque por outro lado é uma gravidez aos 40, é diferente, ou pelo menos têm me alertado para eu abrandar um bocadinho. Como diz a minha médica, temos que lhe tirar as pilhas porque é uma gravidez diferente e tem que ter consciência disso. Estou tranquila porque tenho hábitos saudáveis na minha vida, de uma forma geral, portanto, estou muito otimista, porque também o sou. Agora digo-te, se correr tudo bem não me admira nada que vá ao terceiro", revela.

Sendo uma pessoa muito ligada à família, e sempre desejou ter uma família, dar uma irmão a Maria é um desejo muito especial que a deixou radiante. Cláudia tem dois irmãos e sente que eles sempre foram uma grande ajuda em toda a sua vida.

"Eles estiveram sempre presentes em todos os momentos da minha vida. Sei o quanto foi importante para mim poder contar com eles e queria que a Maria também tivesse uma vivência, que não vai ser de todo parecida com a minha. E o facto de terem pais diferentes têm aqui também famílias diferentes. Muitas mudanças que em tempos me faziam um bocadinho de confusão, que me frustrava um bocadinho quando pensava que a minha filha não ia ter um irmão da mesma mãe e do mesmo pai", admite, reconhecendo que hoje vê tudo de uma maneira diferente. "É viver a vida com aquilo que ela tem para nos dar, agarrar e abrir um bocadinho a oportunidade a que as coisas aconteçam, como foi o caso desta gravidez", completou.

Separação de Pedro Teixeira e as dificuldades que viveu nessa fase

Após estas palavras, Cláudia Vieira abordou a relação anterior com Pedro Teixeira, pai da primeira filha, Maria, de Nove anos. "Tive uma relação de nove anos que entretanto terminou, com uma filha que tinha três anos e meio [na altura da separação]. Nesse momento, voltar a ter disponibilidade emocional para me entregar a alguém, para acreditar, para me apaixonar... Eu sempre disse que sou muito apaixonada e que acreditava muito no amor. Mas o acreditar é uma coisa, viver é outra. E ter esse espaço não é fácil", partilha.

Cláudia confessou que criar a filha depois da separação foi uma momento muito difícil, "uma gestão e uma ginástica gigante".

"Foi difícil em alguns momentos, mas correu muito bem. Agora é passar por isto a acreditar que não vai ser um projeto que vai dar errado, um projeto de vida. Falo em projeto e até parece um bocado distante e frio, mas porque é realmente algo que nós estamos a viver, que nos estamos a entregar e, hoje em dia, a maturidade e a experiência de vida que entretanto ganhei faz-me pôr em causa se as coisas são eternas ou não. Não acredito muito nisso. É para ser vivido, é para não dramatizar, não dimensionar, consciente, mas também para não aumentar os fantasmas, os medos, não alimentar nada disso. É para ser vivido de uma forma genuína, tranquila, serena, de entrega e com abertura ao amor porque isso é fundamental. Se não dermos esse espaço, essa abertura - e eu ofereci ali uma certa resistência - a coisa não acontece", explica.

Dificuldades que sentiu com a Maria quando se separou

As dificuldades de cuidar de uma filha sem o pai a viver na mesma casa levou-a a viver momentos marcantes, que hoje recorda em conversa com Daniel Oliveira.

"Vir com ela de um jantar em casa de alguém e tinha o cão para ir à rua, a Maria adormeceu e estava sozinha. Como é que se gere isto tudo. Depois fazemos coisas que se nos contassem que alguém tinha feito nós íamos apontar o dedo e criticávamos de uma forma absolutamente ridícula e intensa, por isso é que temos que viver as coisas ou perceber que cada um tem os seus motivos para fazer determinadas coisas. Eu deixava a Maria no carro, trancava o carro - em pânico -, com o vidro um bocadinho aberto para ir lá cima buscar o cão, para ele depois passear ali um bocadinho e ficava ao lado do carro para depois pegar nela ao colo e levá-la para cima. E ele já estava passeado. Houve ali determinadas coisas e momento que foram difíceis", partilhou.

Mas para si a parte mais difícil de todas foi o lado emocional. "A parte de nunca deixar passar nadinha à Maria de infelicidade ou de angústia que eu pudesse estar a passar ou a viver. Essa parte foi difícil para com a minha filha e para com o mundo de uma forma geral. Foi uma etapa da minha vida em que tive que ir a forças que eu nem sabia que tinha ou que existiam", recordou.

"Sofri durante meses e depois durante anos. Ao mesmo tempo eu tinha saudades daquilo que eu era", confessou ainda.

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.