Acabou as gravações da novela "Resistirei". O que vem agora: descanso ou mais trabalho?
Um bocadinho das duas coisas. Estou a fazer um espectáculo com o Teatro da Garagem e vamos em digressão para a Roménia. Depois disso preciso de férias, não muito longas, porque não aguento ficar muito tempo sem trabalhar.
O horário tardio de exibição da novela (passa geralmente à uma da manhã) desanima-o?
Sim, gosto que os projectos em que entro tenham visibilidade e que os possa acompanhar. É um sinal que o nosso trabalho é respeitado e considerado. Mas não perco muito tempo a pensar nisso. Tenho visto alguns episódios na Internet.
Fez o papel do Pedro, um rapaz homossexual. Como foram as reacções na rua?
Não foram. Poucas pessoas conseguem acompanhar a novela, e provavelmente esses espectadores não se cruzaram comigo na rua! As pessoas reconhecem-me mais pela personagem que fiz na novela "Vingança".
Que balanço faz da sua vida de actor?
Acordo todos os dias cheio de dúvidas.
A profissão de actor sempre foi um desejo na sua vida?
Não. Quis ser rei, mas não pude. E até foi melhor assim, tendo em conta o estado do país. Depois, durante muito tempo, quis ser veterinário, mas vi, ao vivo, uma cesariana de uma cadela e desisti. Depois quis desenhar retratos na Rua Augusta, pensei melhor e quis ser informático. Depois publicitário...
Estreou-se no teatro aos 19 anos. Agora, aos 29, tem um bom currículo, tendo já passado pela televisão e pelo cinema. O que espera do seu futuro nessa área?
O teatro é onde aprendo mais, onde tenho espaço para uma maior procura. Não espero nada a não ser continuar essa relação de aprendizagem. Obviamente que há peças e personagens que adorava fazer, mas tudo tem o seu tempo. A encenação também me atrai. Um mestrado em encenação é uma possibilidade à vista. A televisão é como montar um cavalo selvagem. Nunca sei bem se me aguento ou se vou cair no meio do chão. Mas essa adrenalina é óptima. Como actor o desafio é fazer depressa e bem, o que não é fácil. Gostava de continuar a ter personagens que me desafiem. Do cinema espero tudo. Só fiz curtas-metragens, por isso o céu é o limite!
Quem é o Rui Neto fora da pele de actor?
Acho que não há nenhum Rui Neto fora dessa pele. Não é só uma profissão, é mesmo uma forma de vida.  
O que gosta de fazer?
Ver filmes, ler livros, pintar, fotografar, viajar e estar com amigos.
O que não dispensa na vida?
Não sei. Comida?
Amores?
Cães.
Estado civil?
Solteiro.
Ambições?
Entrar num filme do Almodóvar, do Tim Burton, do Alejandro González Iñárritu, do João Canijo, encenar Titus de Shakespeare, ter um monte no Alentejo, dois filhos e vários cães.

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.