Os fogos que deflagram na Amazónia estão em grande destaque na imprensa internacional. A dimensão dos incêndios é de tal forma preocupante que uma nuvem negra pode ser vista do espaço, assim confirmam imagens da NASA, do dia 13 de agosto.

Com isto, muitas são as figuras públicas que se mostram indignadas com a tragédia florestal e em Portugal não é exceção. Depois de Heitor Lourenço, foi a vez de Rui Maria Pêgo se mostrar revoltado com a situação.

"Não é photoshop. Não é guerra de informação. Não é 'má vontade' contra um governo nojento. Não é falta de visão. Não é desconhecimento sobre o 'tempo das queimadas'. Não é bot com acesso a paint. É morte por todo o lado. São terras com o tamanho de um campo de futebol a desaparecer a cada minuto. São povos índigenas assassinados durante a noite. Animais; Árvores; Sementes. Tudo a morrer. Começou o Fim da Linha na Amazónia. E com ele o fim desta Era. Fico sem ar ao ver tudo isto. É melhor habituar-me, não é? O próximo a ir é o oxigénio", escreveu numa publicação realizada na sua conta de Instagram.

Leia Também: "É impensável o que está a acontecer. O mundo inteiro está a arder"

Notificações

Os temas mais inspiradores e atuais estão nas notificações do SAPO Lifestyle.