O livrinho "Gosto de Ti", que acaba de lançar, revela outra faceta de Fernanda Serrano?
No início, quando me solicitaram para escrever este livro estava um bocadinho reticente. Gosto bastante de ler, mas sou actriz e não escritora. Mas depois vi que era um projecto muito simples: são as frases que um filho dirige à mãe. Aquelas coisas carinhosas, que às vezes nos esquecemos de dizer e que têm tanto valor. Depois seria também uma maneira de conseguir angariar fundos para ajudar algumas instituições e, assim, juntei o útil ao agradável.
Os seus três filhos, Santiago, Laura e Maria Luísa, foram uma inspiração?
O Santiago, principalmente, ajudou-me bastante. Foi o co-autor deste livro.
Quanto tempo demorou a escrever o livro ´Gosto de Ti'?
É péssimo dizer isto, mas nem uma hora... Eu deveria mentir e dizer um dia ou dois para parecer bem, mas não. O livro é uma simples recolha daquelas frases que, felizmente, eu digo todos os dias aos meus filhos e que eles também me dizem a mim.
E que frases são essas que a fazem tão feliz?
‘Gosto de ti, és a minha namorada mais linda'. Claro que isto agora vai ter um tempo de durabilidade muito curto porque ele, o Santiago, aí aos sete/oito anos vai deixar de utilizar esta expressão. ‘Gosto de ti e do teu cheirinho'. Os filhos adoram o cheirinho das mães, principalmente se formos fiéis ao mesmo perfume, que é o meu caso. ‘Gosto de ti e do teu colinho'. ‘Gosto de ti tanto, tanto, tanto como do Pai Natal'. Confesso que esta é a única mentira do livro, porque quando confrontei o Santiago com esta frase, ele disse: ‘oh mãe, espera aí que isto não está correcto: eu gosto mais do Pai Natal'. (risos). Também não achou muita graça a uma outra: ‘Vou dormir ao pé do teu coração' porque acha que, aos quatro anos, os colegas da escola não têm que saber que ele ainda dorme na minha cama.
Um livro para um Natal que este ano parece ser, para si, mais sereno do que outros?
Vai ser um Natal igualmente sereno. Penso que nós, nestas alturas, devemos deixar para trás o que é passado. É isto que eu faço, e acho que até faço muitíssimo bem. E com três crianças vai ser um Natal cheio, bastante preenchido.
O papá Pedro Miguel Ramos tem por hábito vestir-se de Pai Natal?
Não, ele não tem jeito nenhum para essas coisas. Claro que eu tenho, mas não posso porque era logo apanhada pelos meus filhos.
Como é que é que vivem a quadra natalícia?
Em família. O meu Natal não é muito lisboeta. A minha família é toda alentejana, por isso temos uns costumes diferentes, outro tipo de comida regional, coisas boas e diversas.
E quem vai para a cozinha?
É tudo feito em conjunto, por todas as mulheres. O Pedro ajuda só na altura de se sentar à mesa.
Já começou a comprar os presentes?
Nada... Se bem que agora, com tantos filhos, já pedi aos meus amigos para esquecerem os presentes para nós. Só para as crianças!
Os mais velhos já fizeram os seus pedidos?
A Laura não se percebe nada do que ela diz, o que é uma sorte (risos). A Maria Luísa também tem apenas cinco meses e o Santiago cada dia pede uma coisa diferente. Ele ainda acredita no Pai Natal e por isso escreve carta e tudo. Vou ver se consigo prolongar isto por mais dois ou três anos porque tem graça.
E a Fernanda, o que pediu para si?
Que mantenha as nossas vidas exactamente como elas estão. Sou fácil de contentar...
Para quando o regresso às novelas?
Estou muito ansiosa por voltar à televisão e acho que isso vai acontecer já no início do próximo ano. Pelo que me foi transmitido pelo André Cerqueira, iremos começar os ensaios entre Janeiro e Fevereiro. Sei que é uma novela do Rui Vilhena, mas não faço ideia de quem vai integrar o elenco.
Sente-se preparada para entrar no ritmo alucinante das gravações?
Já estou preparada para isso há algum tempo, mas acontece sempre alguma coisa. Aliás, já virou anedota junto dos meus colegas: ‘Bem, vamos fazer um projecto com a Serrano, desde que ela não engravide'. Estou pronta para voltar ao trabalho, o mais possível. Tenho tantos projectos em atraso, incluindo duas peças de teatro, que acho que durante os próximos dez anos não vou conseguir ter férias...
O António Feio tem passado um mau bocado. Tem falado com ele?
Tenho, mas acho que a melhor pessoa para falar dessa situação é o próprio António. Todos nós o temos apoiado, porque não deve haver ninguém que não goste dele. É uma pessoa querida por todos nós e estamos todos a torcer por ele. Tenho a certeza que vai correr tudo bem. Ele que se despache, porque nós temos mais uma peça de teatro para fazer.
Fernanda, gostaria de ter mais um filho?
Mais um filho não! (risos) Estou óptima com três. Aliás, ter três filhos é mesmo uma loucura. É uma grande prova de fogo para um casal. E aproveito para dizer que todos os direitos que vou receber por este livro revertem, primeiro para as crianças da Associação Mimar mas depois vou optar por instituições menos conhecidas, porque são as menos apoiadas.
Recuperou a forma física. Sente-se bem com a sua silhueta?
Três filhos dão-me uma ginástica incrível e peço sempre ajuda a todos os bons médicos que conheço. Não há milagres e ainda sou do tempo de ter três filhos e ficar com barriga. Recorri a várias ajudas: ginásio, dietas, ao dr. Humberto Barbosa, a um personal trainer, e a uma boa alimentação. Sou muito disciplinada em tudo, e até mesmo no Natal! (risos)
E em termos de saúde, como vai isso?
Estou óptima. Está tudo controlado!

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Lifestyle diariamente no seu email.

Notificações

Os temas mais inspiradores e atuais estão nas notificações do SAPO Lifestyle.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.