1. Jardim da Estrela em Lisboa

É um dos jardins preferidos dos lisboetas de todas as idades. Porquê? Porque tem uma vegetação diversificada, muita dela centenária, recortada por lagos e esculturas. O parque infantil, os equipamentos desportivos e o espaço para fazer piqueniques e jogging tornam-no muito apetecível. Como se isto não bastasse, tem a particularidade de ter uma biblioteca-quiosque, que funciona de terça-feira a sábado, entre as 13h e as 18h. A esplanada do Jardim da Estrela costuma promover concertos, sessões de música com DJ e jogos de sociedade, como o Trivial e o Monópolio.

Além disso, tem uns croquetes deliciosos. E sabia que no coreto há aulas práticas de lindy hoop, um estilo de dança muito em voga nos idos anos da década de 1950? Em frente a este jardim existe, também, o único quiosque de Lisboa no estilo Art Nouveau, explorado pelo Mercado de Campo de Ourique. Este espaço está aberto entre as 7h e as 24h e tem entrada livre.

2. Cerca da Graça em Lisboa

É o novo jardim de Lisboa que liga a Graça à Baixa pela Mouraria. Inaugurado na primavera de 2015, conta com um pomar, um parque infantil, uma zona de merendas e um quiosque com esplanada. A cerca do antigo Convento da Graça tem também uma vista de exceção.

3. Parque da Cidade do Porto

O maior parque urbano do país estende-se por 83 hectares com relvados de perder de vista, onde é possível fazer piqueniques, preguiçar e brincar com os mais pequenos. Além disso, tem 10 quilómetros de caminhos pedestres e um lago que lhe dá um ar ainda mais zen. Se o ar puro que por aqui se respira abrir o apetite, dirija-se ao Soundwich, situado numa eira no núcleo rural do parque, para comer uma das soundwichs feitas por chefs do Porto. Prove, por exemplo, a de João Pupo Lameiras, com cogumelos, cebola, azeite, tomilho, alho, queijo e ovo estrelado e aproveite a esplanada.

4. Parque de Serralves no Porto

A Fundação Serralves é um ponto de paragem obrigatório do Porto, não só pelo museu de arte contemporânea e as exposições que aquele alberga mas, também, pelo seu extenso parque.  Os seus 18 hectares dividem-se em jardins, matas e uma quinta tradicional, com muita vegetação autóctone mas, também, exótica. Ao longo dos vários circuitos, podem observar-se as esculturas da Coleção da Fundação de Serralves e, na Casa de Chá de Serralves, situada no antigo campo de ténis, coma as barras de quinoa, os bolos caseiros, o chá e os gelados da Neveiros, uma das gelatarias mais antigas do Porto.

5. Parque Terra Nostra nas Furnas

A ilha de São Miguel, nos Açores, tem vários jardins, mas atrevemo-nos a dizer que o Parque Terra Nostra é o mais bonito. É bicentenário e composto por flora endémica, mas, também, por espécies vindas dos quatro cantos do mundo, tendo sido idealizado pelo inglês Thomas Hicling. Tem todas as características de um jardim romântico e possui uma das mais notáveis coleções de camélias. Ao todo, é possível ver 500 variedades distintas. Também pode lá encontrar um tanque de água termal, rica em ferro, com uma temperatura que ronda os 35º C e os 40º C.

Não se deixe intimidar pela sua cor, mas leve o fato de banho mais velho que tiver para não ficar manchado e fique por lá a nadar nas águas milagrosas das Furnas. No hotel adjacente, pode saborear o famoso cozido das Furnas ou, apenas, tomar uma bebida depois do banho relaxante. Aberto habitualmente entre as 10h e as 19h, implica o pagamento de 3,50 € de entrada.

Veja na página seguinte: Outros jardins portugueses que pedem para ser usufruídos

6. Jardim Botânico da Universidade de Coimbra

É um espaço muito variado, pois evoca os jardins neoclássicos, mas tem também um canto tropical, estufas, um bambuzal e uma mata. Só consegue ver os três últimos se fizer uma visita guiada. Às terças-feiras (das 17h às 20h) e aos sábados (das 10h às 14h), realiza-se o Mercadinho do Botânico, onde pode comprar produtos biológicos. Este jardim também é palco de workshops. Aberto entre as 9h e ass 18h, tem entrada da Livre.

7. Jardim Botânico da Madeira

Localizado num dos pontos altos da capital da ilha, o Jardim Botânico da Madeira (na imagem), tem mais de três mil espécies botânicas, oriundas de todos os continentes e é um autêntico miradouro para o Funchal. No Parque Louro, as crianças vão adorar observar as 350 aves exóticas. Visite o museu de história natural local, que tem uma coleção de minerais, rochas, fósseis, corais e animais embalsamados do arquipélago.

8. Buddha Eden Jardim em Bombarral

É um jardim oriental idealizado pelo empresário e comendador Joe Berardo, que se prolonga por 35 hectares e a sua principal atração são os as estátuas de budas que recriam os Gigantes de Bamyan, destruídos no Afeganistão pelo governo talibã. Pode percorrer o jardim a pé ou num comboio e fazer uma prova de vinhos, já que o jardim está inserido na Quinta dos Loridos. Aberto entre as 10h30 e as 18h30 (horário de verão) e as 9h30 e as 17h30 (horário de inverno), implica o pagamento de 2,5 €. A entrada até aos 12 anos é grátis.

9. Parque de Lazer das Taipas em Guimarães

Localizado na margem do Rio Ave, este parque situado em zona termal surpreende pelas suas áreas verdes e as sombras frescas, ideais para um piquenique. Aproveite os percursos pedonais para fazer um pouco de exercício e deixe os mais novos brincarem no parque infantil. Horário: Está sempre aberto. Entrada livre.

Jardins portugueses distinguidos

O Jardim de Serralves no Porto, os jardins do Palácio de Fronteira em Lisboa, a Quinta da Regaleira em Sintra, a Quinta do Palheiro no Funchal e o Parque Terra Nostra nas Furnas estão entre os 250 jardins mais notáveis do mundo de acordo com o livro «The Gardener’s Garden», o livro da editora britânica Phaidon Press publicado em março de 2015. Uma obra que realça a qualidade estética de meia dezena de espaços verdes em Portugal. Para saber mais, clique aqui.

Texto: Rita Caetano

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Lifestyle diariamente no seu email.

Notificações

Os temas mais inspiradores e atuais estão nas notificações do SAPO Lifestyle.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.